A partir da primavera, enchem a paisagem envolvente de cor. "Nesta época do ano, é impossível ficarmos indiferentes à floração das buganvílias. Estão por todo o lado! Em muros, em pérgulas, em portões, em treliças... As tonalidades das flores são muitas, desde o cor de rosa forte ao pálido, passando pelo branco, pelo amarelo, pelo lilás, pelo salmão, pelo coral e ainda pelo encarnado", sublinha Teresa Chambel, arquiteta paisagista, diretora da revista Jardins.

"São uma das trepadeiras mais utilizadas nos climas mediterrânicos e também uma das mais resistentes. É uma planta fácil de cultivar em vaso ou floreira", garante ainda a blogger e autora de livros de jardinagem. "Estamos mais habituados a ver as buganvílias conduzidas em trepadeira, mas também se utilizam como arbustos talhados e até como árvores", refere. "As que vou mostrar estão talhadas em bola e são ótimas para usar em vaso", esclarece a especialista.

As mais vulgares são as cor de rosa, que curiosamente também são as mais resistentes . No vídeo explicativo que se segue, Teresa Chambel ensina a cultivar duas variedades de produção nacional. "Uma é a Bicolor, que tem flores de duas cores na mesma planta, cor de rosa e brancas. A outra é a New Orange, com uma floração exuberante cor de laranja", descreve a arquiteta paisagista. "São resistentes à secura, ao ar do mar e ao sol intenso", informa ainda a diretora da revista Jardins.

A buganvília é uma variedade botânica da família Nyctaginaceae, conhecida pela robustez das suas espécies. "Para além de resistirem ao calor, também são resistentes ao frio. Nas zonas com temperaturas mais baixas, podem perder as folhas", adverte, contudo, Teresa Chambel. Em termos de condições de cultivo, prefere pleno sol e um solo fértil, rico em matéria orgânica, bem drenado. Necessita de regas regulares e de ser conduzida inicialmente", explica.

"Suporta geadas e períodos de frio e também suporta o ar do mar. Com temperaturas baixas, perde a folha no inverno", volta a alertar a arquiteta paisagista. A buganvília é uma trepadeira excelente para pérgulas, caramanchões, paredes, muros, vasos e floreiras. "Em termos de manutenção, para além das regas que exige no verão, também pede fertilização na primavera e uma poda de formação", acrescenta a autora de livros como "Um jardim para cuidar".

"Requer também uma poda anual após a floração, com a remoção de flores velhas e de parte da folhagem, para estimular a floração do ano seguinte. Para plantar em vaso, faça uma boa drenagem com argila expandida e geotêxtil e use um substrato universal. Pode dar-lhe uma fertilização extra. Eu uso corno torrado, um fertilizante que é usado em agricultura biológica", revela. "Para a manter em vaso, deve podá-la regularmente", recomenda ainda Teresa Chambel.

São uma das trepadeiras mais usadas nos climas mediterrânicos. Os cuidados a ter quando cultivar buganvílias

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.