Serafina Monteiro nasceu num dia como hoje, em 1918, na localidade de Morrinho.

Fina, como é carinhosamente conhecida no seio da comunidade maiense, é tida como uma das parteiras de referência daquele povoado, por ter também formado algumas mulheres neste ramo.

Além disso, também era conhecida como uma “excelente costureira”  que utilizava a técnica de produção de linha desfiando o algodão, conhecimento que adquiriu com a mãe.

Serafina também se destacou no ramo da queijaria, tendo desempenhado na final da década de 70 a função de responsável da unidade de produção de queijo no centro zootécnico, onde também desempenhava função de cozinheira para a comitiva que vinha da Cidade da Praia, bem como para os cooperantes que trabalhavam naquele sítio.

Mãe de seis filhos, que lhe deram 20 netos e 19 bisneto, Serafina também é conhecida como uma devota cristão e é tida como uma referência para família por ter conseguido alcançado esta idade.

Por isso, a sobrinha Justina Andrade expressou alegria por este “momento único” de reunião da família, embora muitos se encontram fora da ilha e do país.

“Estamos contentes tanto pela idade que ela já conseguiu atingir, mas também porque está de boa saúde e muito firme, e quem não sabe nem imagina que ela tem toda esta idade, algo que também gostaria de atingir”, salientou, lembrando sua infância e adolescência, momentos que considerou inesquecíveis, porque as pessoas viviam de forma simples e humilde, apesar das dificuldades da época.

Devido a idade, Serafina Monteiro não se lembra todos os episódios da sua vida, mas está disponível para um dedo de conversa com amigos e familiares, relatando as peripécias do tempo antigo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.