As bijutarias “Made in Mindel”, da jovem artesã Gisela Fortes, ganharam já grande notoriedade no país, tendo já representação em diversas lojas de São Vicente e também noutras ilhas, nomeadamente na capital, nas lojas Porão em Chã de Areia e Cheiro de Cores no Plateau.

Formada em gestão de empresas, hoje, aos 25 anos recorda que o gosto pela confecção dessas peças foi adquirido entre os 18 e os 19 anos. É formada pelo ISCEE, e está a fazer um curso de integração profissional mas pretende dar continuidade a actividade de artesã, que diz fazer por gosto e pelo prazer que lhe dá ver as mulheres na rua com as suas peças.

Gostaria de poder frequentar mais formações no estrangeiro. Sobretudo espera que os canais institucionais do Governo e da Câmara Municipal de São Vicente possam apoiar uma deslocação para uma formação mais demorada, que permita uma aprendizagem mais profunda doutros métodos de trabalho em geral e, também, no campo da reciclagem de objectos e reaproveitamento de matérias. Segunda a sua visão, isso é importante pois permitiria preparar o artesão para este vir dar formação a outros colegas e aos jovens que queiram se iniciar nessa arte, que entende ser essencial para um país turístico como o nosso. Isto é, “usar-nos para a promoção da nossa arte” e eventualmente, inclui-los nas comitivas que se deslocam ao estrangeiro como oportunidade simultânea para aprendizagem e divulgação, diz Gisela.

A Produção da Gisela é feita sobretudo de colares, brincos, pulseiras, chaveiros e porta-moedas. Utiliza como “matéria-prima” diversos elementos como “contas” de cerâmica, “missangas”, bambu, linhas de pesca, arame, etc.

No final do de Dezembro apresentou no Hotel Porto Grande um desfile de modelos com a sua colecção para passagem de ano, constituída sobretudo por colares, brincos e pulseiras concebidas para a noite do reveillon 2009-2010. Nesta ocasião diz ter surpreendido por apresentar algo diferente da sua linha habitual, mas fora de regra, “mais tchám!” diz a própria, sorrindo. Contou com a habitual boa aceitação e as pessoas reagiram bem a originalidade dando valor a diferente criatividade.

Já na última linha de peças, a que vem trabalhando desde o início deste ano, voltou ao estilo funcional pois são peças para o dia-a-dia da mulher moderna. Continuar a fazer questão de todas as suas bijutarias serem peças que ela mesma usaria. A frase determinante para ter continuado a fazer a sua arte, como tal, ouviu-a duma cliente: “as tuas peças têm vida própria”. E é pelas mulheres que o faz. “Dá-me gozo saber que outras mulheres como eu, sentem-se bem com as minhas peças”, confidencia.

Diz que sempre achou que “a mulher cabo-verdiana destaque-se em todo o lugar onde vai”. Razão pelo que deve então reforçar a sua imagem. Aos amigos e homens que reclamam por só fazer peças para mulheres diz que um dia há-de lá chegar mas por agora as senhoras são o seu metier.

Por ocasião do lançamento do SAPO Mulher Gisela Fortes exporá as suas colecções na Praia.

PARTNER

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.