Em declarações à Inforpress, Andradina Rodrigues, natural de São Domingos, afirmou que começou a trabalhar como condutora em 2013, num Toyota Hilux , no percurso cidade do Tarrafal - Ribeira Principal, no interior do município de S. Miguel, Santiago.

Mas, “como a sua ambição era maior”, em Dezembro de 2015 rumou para a cidade da Praia a fim de fazer um estágio na empresa de transporte público, Sol Atlântico. Devido ao seu desempenho, em Janeiro de 2016 começou a trabalhar na referida organização.

“Por ser mulher, já sofri preconceito no meu trabalho, agressão física e psicológica também. Muitas pessoas estranham ao me ver nessa área”, desabafou.

A entrevistada da Inforpress garantiu que actualmente é a única mulher a conduzir de autocarros na empresa Sol Atlântico, que tem cerca de 200 homens na mesma área.

“Os meus colegas tratam-me muito bem. Eles me protegem em qualquer situação. É divertido estar com eles”, enalteceu.

Andradina Rodrigues é apaixonada pelo volante e, conforme transmitiu, lutou bastante para realizar as suas pretensões.

“Desde criança tinha muita imaginação. Sonhava muito com carros e motas. Eu gosto muito da minha profissão. Foi a paixão mesmo que me fez continuar nesta jornada. Mas eu quero dar mais de mim e eu sei que vou conseguir”, declarou.

Andradina pretende ser “uma inspiração” e apela a todos para persistirem nos seus sonhos, uma vez que, segundo ela, sempre existem barreiras, mas não se pode desistir das lutas.

“Pode ser difícil, mas não impossível”, enfatizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.