É importante lembrar que reforçar as defesas do organismo implica uma alimentação saudável, uma hidratação adequada e a prática regular de atividade física. Pequenos gestos que, na hora das doenças, podem fazer a diferença numa melhor recuperação.

Uma alimentação saudável (equilibrada, variada e completa) contribui para o aporte suficiente de nutrientes com uma ação importante para o funcionamento eficiente do sistema imunitário como é o caso das vitaminas A, C, B12, B6, D e E, o ácido fólico, o zinco, o ferro e o selénio, bem como os ácidos gordos polinsaturados n-3.

De entre os vários alimentos que devem estar presentes no seu dia alimentar destacam-se alguns que ajudam a reforçar as defesas naturais do organismo.

Hortícolas

Os hortícolas são indispensáveis para o reforço do sistema imunitário. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo mínimo diário de 400 gramas de hortofrutícolas. Para atingir esta recomendação utilize os produtos hortícolas como acompanhamento no prato e inicie as refeições principais com sopa.

A sopa de hortícolas é uma excelente aliada, devendo ser uma presença assídua na mesa, devido ao seu conteúdo em água, fibra, vitaminas e minerais.

Aproveite os produtos hortícolas disponíveis nesta época pois são de excelente riqueza nutricional (como a abóbora, o agrião, a cebola, a cenoura, o nabo, o espinafres e tantos outros). Inclua ainda leguminosas na sopa, como o feijão, o grão-de-bico, as ervilhas ou as lentilhas. Varie ainda os ingredientes que a compõem, aproveitando as diferenças nutricionais existentes entre os vários alimentos.

Fruta

A fruta deve fazer parte do nosso dia, com 3 a 5 porções. Escolha frutos da época, sendo o outono característico de alimentos ricos em vitaminas antioxidantes, como a vitamina C e a vitamina A, que auxiliam a fortalecer o sistema imunológico contribuindo para proteger o organismo contra as infeções. São exemplo a laranja, o kiwi, a tangerina, a nêspera e o dióspiro.

Peixe gordo

Os peixes gordos como a sardinha, a cavala e o atum são fornecedores de excelência de ácidos gordos n-3, essenciais para auxiliar na resposta inflamatória.

Água

A ingestão de água, em natureza ou sob a forma de tisanas ou infusões, contribui para a hidratação do organismo beneficiando as suas defesas. Sem esquecer que a água deve ser ingerida, mesmo não existindo a sensação de sede, dado que esta, quando aparece, é muitas vezes um sinal de que o organismo se encontra desidratado.

E se a gripe ou a constipação já lhe bateu à porta lembre-se que a hidratação é o principal cuidado a não esquecer. Febre, tosse, espirros, e em alguns casos vómitos e diarreias, provocam naturalmente desidratação e, portanto, é fundamental manter o corpo hidratado. Pode fazê-lo através de vários alimentos e bebidas, que simultaneamente ajudam a reforçar as defesas naturais do organismo, tais como: a água, as tisanas ou infusões, a sopa, a fruta e os sumos de fruta, evitam que o corpo desidrate, ajudando na sua recuperação.

Lembre-se que uma boa alimentação não impedirá de ter uma gripe ou uma constipação, mas ajudará o seu organismo a reagir melhor à doença.

Um artigo da nutricionista Alexandra Bento, bastonária da Ordem dos Nutricionistas.

Alexandra Bento é doutorada em Ciências do Consumo Alimentar e Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e mestre em Inovação Alimentar pela Universidade Católica Portuguesa, onde é professora convidada da licenciatura em ciências da nutrição e regente das unidades curriculares de Política Nutricional e Alimentar, Nutrição Humana e Gastrotecnia. É Bastonária da Ordem dos Nutricionistas desde 2012.