Em tempos da pandemia Covid-19 são várias as medidas preventivas que se têm adotado para evitar a propagação do vírus e as viseiras são uma delas. O SAPO esteve à conversa com Kessia Tellez, da empresa Luna Arte & Design, e com Manuel e Romário Teixeira, pai e filho, que estão a produzir estes acessórios na cidade da Praia.

Segundo Romário Teixeira, a ideia surgiu com a entrada do estado de emergência. “Com a imposição da quarentena obrigatória, o pagamento do salário atrasou-se. Certo dia, ao utilizar as redes sociais observei que os enfermeiros estavam a usar viseiras de proteção e resolvi produzir uma para o uso próprio. Acabei por fazer uma em tamanho pequeno para o meu filho de 1 ano e a mãe dele divulgou uma foto numa página no Facebook e assim começaram a surgir as encomendas”.

A empresa Luna Arte & Design trabalha com design e fabricação de sinaléticas e brindes personalizados e agora, com o surgimento de casos na capital do país, passaram a fabricar viseiras.

“Como a maioria das empresas, fechamos as portas e, por isso, tivemos uma grande quebra no negócio. Dependemos em grande parte dos eventos que devido à conjuntura atual foram cancelados ou adiados. Tem sido um grande desafio para nós, mas estamos confiantes que conseguiremos ultrapassar esta fase se conseguirmos nos adaptar às novas necessidades dos clientes”, explica Kessia.

Manuel e Romário Teixeira produzem as viseiras em casa e utilizam kapaline/papel EVA, elásticos, fita dupla face, atacadores, acetato, tesoura e alicates.

Romário diz que o preço é 300$00 (adulto) e 200$00 (criança) e os pedidos podem ser feitas através dos contactos nas redes sociais ou via telefone.

“A procura tem aumentado e durante a pandemia Covid-19 tem sido uma fonte de rendimento que ajuda nas despesas de casa e também é um alívio ao stress e ao isolamento social”, afirma Romário que diz que já receberam solicitações de pessoas de outras ilhas. “Infelizmente não entregamos para outras ilhas”.

“Leves, confortáveis e de fácil higienização”, assim descreve Kessia Tellez as viseiras produzidas pela sua empresa.

“Os materiais utilizados para o modelo da estrutura de encaixe e de fácil substituição da folha de acetato são: o acrílico, TNT (tecido não tecido, conhecido por feltro), elástico e folha de acetato. Este modelo tem a particularidade de a folha de acetato ser substituída pelo próprio cliente, quando apresentar sinais de deterioração. Para o modelo com a frontal basculável, os materiais utilizados são: o TNT, elástico, folha de acetato e etilvinilacetato (conhecido por papel EVA) por ser um material leve e maleável”, explica.

No que se refere aos preços, a mesma fonte diz que variam consoante o modelo.

“O modelo com papel EVA, o valor é de 450$00, e o modelo com o acrílico custa 530$00. Fazemos descontos para encomendas a partir de 10 unidades. Tivemos também que adaptar o design dos protetores faciais para crianças, a pedido de alguns clientes”.

As encomendas podem ser feitas através da pagina da empresa nas redes sociais (Instagram, Facebook,viber, whatsapp) ou via e-mail e as entregas são feitas ao domicílio, sempre que possível e estão também disponíveis num minimercado, no Palmarejo.

“Atualmente estamos a analisar a possibilidade de disponibilizarmos as viseiras em mais locais, permitindo que fiquem mais acessíveis a todos. Temos tido muita procura e acreditamos que irá aumentar ainda mais com o cessar do estado de emergência e com a reabertura dos negócios”, conclui Kessia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.