De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados é de 944.450, mais 16.789 nas últimas 24 horas, havendo agora 602.578 recuperados.

O maior número de casos e de mortos de COVID-19 continua a registar-se na África Austral, com 526.870 infetados e 8.642 óbitos.

Nesta região, a África do Sul, o país mais afetado do continente, contabiliza 503.290 infetados e 8.153 óbitos.

A região da África do Norte, a segunda mais afetada pela pandemia, tem agora 161.197 infetados e 6.694 mortos.

Na África Ocidental os casos subiram para 129.646, com 1.924 vítimas mortais.

Já na região da África Oriental, registam-se 77.840 casos e 1.719 mortos.

A região da África Central contabiliza 48.897 casos e 941 mortos.

O Egito é o segundo país com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, contabilizando 94.316 infetados e 4.834 óbitos, seguindo-se a Argélia, que conta hoje com 30.394 casos e 1.210 vítimas mortais.

Entre os cinco países mais afetados, estão também a Nigéria, que regista 43.537 infetados e 883 óbitos, e o Sudão, com 11.644 casos e 720 vítimas mortais.

Em relação aos países africanos que têm o português como língua oficial, Cabo Verde lidera em número de casos (2.480 casos e 23 mortos), seguindo-se a Guiné-Bissau (1.981 casos e 26 mortos), Moçambique (1.907 casos e 12 mortos), Angola (1.164 infetados e 54 mortos) e São Tomé e Príncipe (871 casos e 15 mortos).

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), tem 4.821 infetados e 83 óbitos.

O primeiro caso de COVID-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 685 mil mortos e infetou mais de 17,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Na quinta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que o número de casos de covid-19 em África vai ultrapassar um milhão “nos próximos dias”, assinalando que registou um aumento de “50% nos últimos 14 dias”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.