Em comunicado, o Ministério da Saúde de Cabo Verde refere que foram processadas desde domingo, nos laboratórios de virologia do país, 220 amostras (também das ilhas de São Vicente, São Nicolau e Maio), sendo que 36 deram resultado positivo para o novo coronavírus na Praia, ilha de Santiago, e todas as restantes foram negativas.

Nas últimas 24 horas foram ainda dados como recuperados 51 infetados, pelo que permanecem ativos em Cabo Verde 645 casos de covid-19, um dos quais em estado grave e ventilado, internado no Hospital Dr. Agostinho Neto, na Praia.

O acumulado desde 19 de março, quando foi diagnosticado o primeiro infetado com covid-19 no arquipélago, passa a ser de 2.583, com 1.911 recuperados, 25 óbitos (mais um face a domingo) e dois estrangeiros transferidos para os países de origem.

Em conferência de imprensa realizada ao final da tarde, na Praia, para fazer o balanço da situação epidemiológica em Cabo Verde, o diretor nacional de Saúde, Artur Correia, explicou que o país atingiu na última semana de junho um "pico" de 341 casos de covid-19 (numa semana), registo que tem vindo a descer. Na semana terminada no domingo, Cabo Verde contabilizou 218 casos da doença.

"Não há duvidas que, depois do pico, atingimos uma situação estacionária, que convém - estamos a fazer todos os esforços - baixar", apontou Artur Correia.

Contudo, o diretor nacional de Saúde alertou para a situação na Praia, que face aos cerca de 150 casos semanais que continuam a ser registados, influencia todo o arquipélago.

"A Praia não nos está a deixar descer [número de casos]. Já descemos em todos os concelhos (...) Precisamos, na Praia, de fazer algo mais, algo de melhor, que envolva a própria população e as autoridades, no sentido de fazer cumprir as normais gerais que foram emanadas pelo Governo", exortou o responsável, aludindo ao aparente relaxamento da população no cumprimento de medidas de distanciamento social, sobretudo pelos jovens.

Esclareceu também que até ao momento, as autoridades cabo-verdianas já realizaram mais de 41.630 testes rápidos à covid-19 e cerca de 20.000 testes de PCR.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 689 mil mortos e infetou mais de 18,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.