A informação foi confirmada à Inforpress pela delegada de Saúde da Praia, Ulardina Furtado, que adiantou que desde o início do ano já foram registados, só na Cidade da Praia, um total de nove casos.

Os últimos casos referentes a dois irmãos provenientes da Nigéria foram registados esta terça-feira, mas a delegada de saúde afirmou que os doentes estão estáveis e sob controlo dos médicos.

Ulardina Furtado, que foi convidada a falar sobre a situação das doenças arboviroses após a queda das primeiras chuvas no arquipélago, disse que não há nenhuma situação anormal.

“Está tudo sob controlo e nós estamos a fazer o nosso trabalho no terreno como está programado e claro está com mais atenção devido a queda das chuvas. Mas não há nenhuma situação de alarme e nem de anormalidade”, disse.

Segundo adiantou, neste momento a Delegacia de Saúde da Praia tem no terreno cerca de 40 pessoas distribuídas por três equipas, que estão a fazer a luta anti-larval, pulverização e a educação para a saúde junto da população.

“Temos uma equipa de comunicação que está fazer a comunicação para a saúde e neste momento o apelo é que as pessoas tenham atenção às águas acumuladas. Esvaziar e lavar o recipiente para que não haja restos de água acumulada e lá onde houver mosquitos em quantidade chamar a Delegacias de Saúde da Praia que vamos fazer a intervenção”, disse.

Cabo Verde está numa fase de pré-eliminação e eliminação do paludismo e o objectivo nacional é de eliminar a doença até 2020.

Desde 2018 não tem casos locais, mas o país continua a registar casos importados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.