De acordo com o portal eletrónico de notícias da BBC, cerca de 5,5 milhões de doses de vacinas já foram enviadas a cinco estados que confirmaram casos ou estão em risco. As outras, num total de seis milhões, que foram encomendadas chegarão em breve.

Cerca de 70 casos já foram confirmados – incluindo aproximadamente 40 mortes pela febre-amarela, ocorrendo maioritariamente na zona rural do estado de Minas Gerais. Mais de 450 casos de pessoas doentes estão sob investigação das autoridades de saúde do Brasil.

A febre-amarela é uma doença potencialmente fatal transmitida por mosquitos.

Veja ainda: 15 doenças ainda sem cura

Saiba mais: Os 12 vírus mais perigosos do mundo

Uma grande parte do Brasil é considerada de risco para a febre-amarela, mas o país registou poucos casos nos últimos anos. O Governo de Minas Gerais declarou estado de emergência de 180 dias.

Houve também casos confirmados em São Paulo, o estado mais populoso do Brasil, no Espírito Santo (com uma morte confirmada) e Baía, ambos vizinhos de Minas.

"Quanto mais casos há, mais existem oportunidades de o surto aumentar e espalhar-se em áreas urbanas”, declarou Jimmy Whitworth, professor de saúde pública internacional na London School of Hygiene and Tropical Medicine.

Segundo o professor, “as autoridades brasileiras estão a levar a situação muito a sério e parecem ter ‘stock’ suficiente de vacinas”.