A ModaLisboa chegou ao fim de mais uma edição e neste último dia foram vários os fashionistas que voltaram a marcar presença para ver as coleções de Constança Entrudo, Hibu, Awaytomars, Ricardo Andrez, Aleksandar Protic, Ninamounah e o tão esperado Dino Alves.

O dia começou cedo e Constança Entrudo, da plataforma LAB, surpreendeu tudo e todos com uma instalação onde apresentou a coleção ‘I don’t know if this exists’, uma performance centrada na cultura do corpo humano numa relação com a pintura, a escultura, o som e a moda.

Também da plataforma LAB, foi a vez de Hibu mostrar uma coleção que prima pelo minimalismo e onde as suas peças sem género tem um cariz descontraído. A sustentabilidade é um dos pontos fulcrais da marca e por isso, os tecidos são orgânicos e 100% de algodão.

Seguiu-se a vez de Awaytomars e para a próxima estação a marca quis ressaltar a crítica sobre o consumo e a produção excessiva de peças. Todas as peças da coleção foram co-criadas a partir de roupas enviadas pelos membros do coletivo, de consumidores e também de macas parceiras.

Ricardo Andrez apresentou um manifesto à identidade aleatória que prevê o comportamento geracional futuro. Uma coleção onde o designer explorou imagens e produtos.

Já a noite se fazia sentir quando Aleksandar Protic mostrou que continua a descrever impressões sobre personalidades e as suas singularidades, através de peças coloridas onde ressaltam os estampados multicolores, o preto e também o azul.

Ninamounah fez a sua estreia na passerelle da ModaLisboa com um toque bastante irreverente. A ‘Complete Metamosphosis’ explora o lado animalesco dos humanos e ultrapassa as suas zonas de conforto na moda, tudo com métodos biológicos e padrões pinstripe.

A passerelle da ModaLisboa recebeu o seu último desfile e foi a vez de Dino Alves dar por encerrada mais uma edição. A fusão da vida rural com a vida cosmopolita serviu de inspiração para esta coleção que conta a sua história e o seu percurso de vida, desde a província até à cidade. Para o designer estas misturas de contrastes tornam as pessoas mais especiais e por isso, as peças surgem tanto com um ar mais antiquado como avant garde, com silhuetas justas e oversized em simultâneo com fluidas e volumosas. A aposta no uso dos acessórios é um dos pontos fulcrais da coleção.

Depois de três dia intensos de moda e tendências é a altura de fechar as portas das Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército e encerrar a 54ª edição da ModaLisboa.

Se perdeu algo ou quer voltar a dar uma vista de olhos no que por lá se passou espreite aqui! Até outubro!

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.