O príncipe William visitou neste domingo a região do nordeste do Japão devastada pelo terremoto e tsunami de Março de 2011, onde vários sobreviventes entregaram tsurus de origami, símbolo japonês de boa sorte.

Trata-se do último dia de sua visita ao Japão, que William realiza sem a sua esposa, Kate, prestes a dar à luz o seu segundo filho.

O segundo na ordem de sucessão ao trono britânico viajou a Ishinomaki, uma das localidades mais afectadas pelas ondas gigantescas de 11 de Março de 2011 que deixaram 19 mil mortos.

O príncipe, de 32 anos, depositou um ramo de flores num monumento em memória das vítimas.

Várias crianças ofereceram a William tsurus de papel vermelho feitos por sobreviventes do tsunami, que ainda vivem em casas temporárias.

"Quando demos os pássaros disse-nos que o seu filho ficaria feliz", explicou uma menina à rede de televisão NHK. "Vou lembrar-me deste dia por toda a minha vida", acrescentou.

O pai do pequeno George, que em Julho completa dois anos, também visitou um museu dedicado ao tsunami, assim como uma zona comercial temporária construída em Onagawa, a leste de Ishinomaki.

Os núcleos de três reactores da central nuclear de Fukushima fundiram-se no desastre. Dezenas de milhares de pessoas não podem voltar às suas casas devido à contaminação, mas as autoridades afirmam que a zona afectada é limitada e que os níveis de radiação são normais em boa parte das regiões do nordeste.

No sábado, o príncipe jantou com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e antes William vestiu a rica indumentária e o elmo de um samurai durante uma visita aos estúdios da rede de televisão japonesa NHK.

Na sexta-feira o príncipe encontrou-se com a família imperial japonesa no seu palácio, no coração de Tóquio, num dia em que a sua mãe, a princesa Diana, foi lembrada.

O príncipe viajou neste domingo para Pequim, com a esperança de estreitar as relações com a China.

SAPO com AFP

2 de Março de 2015

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.