Alejandro Sanz foi condenado a pagar mais de cinco milhões de euros à mulher que geriu a sua carreira nos últimos 25 anos no passado dia 9 pelo Juzgado de Primera Instancia 74 de Madrid mas só hoje a sentença foi tornada pública. Rosa Lagarrigue reclamava mais de nove milhões de euros por incumprimento de contrato. "Ter de o processar foi o [acontecimento] mais triste da minha vida profissional", lamenta a empresária espanhola.

O intérprete de êxitos como "Corazón partío" e "Amiga mía" perdeu o recurso que o opunha à antiga agente e, de acordo com o jornal El País, terá que, através da sua empresa, a Gazul Producciones, pagar mais de 5,4 milhões de euros a Rosa Lagarrigue. "A sentença ditada não é definitiva, sendo passível de recurso", refere, todavia, o documento. A agente musical processou o cantor em 2016 depois de ter sido apanhada de surpresa.

Renovado em 2014, o contrato com Alejandro Sanz só terminava em 2019. "Estava tudo a correr bem. Terão de lhe perguntar a ele as razões [para a cessação unilateral de contrato]", lamentou, na altura, Rosa Lagarrigue à imprensa espanhola. "Eu comecei [a trabalhar] com o Alejandro desde o zero, ainda ele era um rapaz de Moratalaz e vejam até onde é que ele chegou. Não tenho uma explicação. Foi uma rutura unilateral, apesar de termos um contrato vigente. É muito doloroso [abordar este tema] porque é uma coisa que nem sequer foi falada", lamentou publicamente a empresária espanhola, que voltou a estar frente a frente com o cantor em tribunal, no fim de julho.

Nascido em Madrid, em Espanha, a 18 de setembro de 1968, Alejandro Sanz, atualmente com 50 anos, é um dos artistas latinos mais conhecidos em todo o mundo. Desde que iniciou a carreira, no final da década de 1980, já vendeu mais de 21 milhões de discos. Em Portugal, liderou as tabelas de vendas durante semanas, em 1997, com o álbum "Más", de onde foram extraídos singles como "Corazón partío", "Y si fuera ella" e "Amiga mía".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.