São muitas as alterações que, invariavelmente, ocorrem na mulher durante as semanas de gravidez. Durante a gestação ou nas fases em que há um aumento de peso significativo, os cuidados com a pele e, neste caso concreto, com o decote e com peito, devem, à semelhança de outras zonas do corpo, ser redobrados, com o recurso a cremes antiestrias. "Contudo, na gravidez, as mulheres devem usar cremes específicos para grávidas", refere Manuela Cochito.

"As versões normais de alguns desses produtos refimantes, antiestrias e até hidratantes contêm substâncias que não podem ser usadas durante esse período dado o risco de prejudicarem o feto", alerta a dermatologista. Um dos ingredientes a evitar nesta fase é o retinol ou vitamina A. Durante a gravidez também é importante "não engordar muito, evitando assim mais um fator que contribui para aumentar desmesuradamente o peito", acrescenta ainda Manuela Cochito.

"O uso de sutiã também é importante, especialmente quando se faz desporto ou se verifica um crescimento brusco da mama, como acontece durante a gravidez e a amamentação, de forma a não deixar que o tecido de sustentação quebre", explica mesmo a conceituada dermatologista portuguesa. Por fim, deve-se ainda evitar fazer dietas drásticas, muitas delas conhecidas pelo famoso efeito iô-iô, que leva muitas mulheres a engordar depois de ter conseguido perder peso.

"O peito é uma das zonas do corpo onde é mais visível o efeito dessas dietas, porque fica logo descaído quando aumenta de volume e, depois, quando se emagrece, assemelha-se a um saco vazio", alerta ainda a dermatologista. Existem atualmente no mercado nacional cosméticos com formulações desenvolvidas com ingredientes que previnem essa situação, combatendo a flacidez e a falta de firmeza nesta zona do corpo feminino, que é uma das que as mulheres valorizam.

Texto: Rita Caetano com Manuela Conchita (dermatologista)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.