Um estudo realizado pelo Jornal Neurosurgery Spine revelou que 84% das mulheres e 55% dos homens com hérnias discais registaram uma diminuição do desejo sexual, sendo que, junto da população masculina, foram ainda identificadas outras disfunções como ejaculação precoce e disfunção erétil.

A lombalgia – dor na região da coluna lombar – pode ter diversas origens, estando associada a posturas incorretas, acidentes, doenças degenerativas e mesmo a stresse e a desequilíbrios emocionais. A sua multiplicidade de fontes faz com que seja também uma das principais causas de dor em Portugal, sendo a sua prevalência maior junto das mulheres.

Esta é uma realidade que, quando confrontada com os dados que a investigação nos tem sugerido, se torna particularmente reveladora da importância de uma relação honesta entre o doente e o seu médico assistente. As dificuldades sexuais provocadas por lombalgias são muitas vezes subestimadas devido a preconceitos existentes, acabando por ser assumidas como “normais” ou “algo com que todos temos de viver”, em vez de se adotarem medidas que contribuam para as colmatar e garantir uma melhor qualidade de vida.

O especialista salienta ainda que o momento de uma cirurgia continua a ser um grande “bicho-papão” e fonte de inúmeras dúvidas nestas temáticas.

A abordagem silenciosa ao problema, para além de conduzir a uma vida sexual insatisfatória, assente, entre outros, numa diminuição da frequência do ato, poderá ainda agravar as dores existentes. “A insistência em más posturas e a ausência de estratégias adequadas à localização e origem da dor poderá resultar numa hiperpressão aplicada às estruturas articulares e musculoligamentares da coluna vertebral aquando do ato sexual.”, destaca o cirurgião ortopédico sobre as consequências deste comportamento.

“Embora cada caso seja diferente e deva ser analisado de forma personalizada, sabemos que a coluna vertebral se move durante o sexo, pelo que um dos conselhos gerais que costumo dar passa por sugerir que a pessoa controle o movimento e que utilize menos a coluna e mais os joelhos ou as ancas, mantendo a sua coluna o mais neutra e com a menor tensão possível para que possamos atuar contra o desconforto sentido de outra forma”, remata o especialista que destaca posição lateral como uma das mais prejudiciais para as dores nas costas.

Alguns cuidados a ter na prática sexual para garantir uma melhor postura e prevenir dores nas costas:

Como qualquer atividade física, o ato sexual exige algumas precauções, uma vez que pode provocar lesões em várias partes do corpo. Estas lesões estão frequentemente associadas ao local em que é praticado e a posições mais arriscadas, em que o casal pode distender algum músculo ou contrair alguma lesão lombar.

  1. Alongamento e preparação muscular: associado ao movimento repetitivo e por tempo prolongado, é importante que se pratiquem alongamentos com regularidade, principalmente no caso de pessoas sedentárias.
  2. Se sentir alguma dor, pare: as posições menos convencionais podem forçar a coluna, pelo que é importante que tente parar assim que sentir alguma dor, para não aumentar o sofrimento e não agravar o problema.
  3. Utilize uma almofada: o casal pode sempre usar uma almofada como apoio, em posições em que se sintam menos confortáveis ou no caso de necessidade de algum suporte num local específico do corpo.
  4. Movimentos repetitivos: deve ter em atenção que alguns movimentos de forma repetida podem originar pressão muscular ou vertebral e gerar incómodo ou algumas lesões. Se sentir algum desconforto por repetição deve parar de imediato e procurar encontrar uma postura mais confortável.
  5. Movimentos bruscos: estes podem gerar efetivamente uma lesão, como é o caso do torcicolo, principalmente no caso de apresentar um músculo mais tenso que seja distendido de forma ríspida.
  6. Atenção ao local: tenha atenção ao local escolhido para não promover possíveis acidentes ou quedas.
  7. Procure não forçar o corpo sobre as articulações, uma vez que pode vir a sofrer lesões ligamentares a nível o joelho, pulso, tornozelo ou dedos, por exemplo, o que pode comprometer a sua função motora, de alguma forma.

O médico ortopedista indica ainda alguns dos exercícios que pode adotar para prevenir algumas lesões durante a prática sexual:

  • Pilates

Cada vez mais usado como método para alinhar a coluna e fortalecer os músculos envolventes, o Pilates requer resistência e equilíbrio, especialmente no que toca ao tronco e pernas, com o auxílio de aparelhos e/ou colchões, daí que seja um importante apoio para fortalecer a musculatura e prevenir algumas possíveis lesões.

  • Treino core

Exercícios de prancha com bola suíça são exercícios normalmente incluídos em aulas de ginásio tendo importância para o fortalecimento de músculos situados na região abdominal, aumentando, assim, a estabilidade lombar, e fazendo com que exista uma melhor gestão da sobrecarga do peso sobre a coluna.

  • Musculação

Em especial, as atividades destinadas aos membros inferiores permitem fortalecê-los de modo a que estes amorteçam os impactos prejudiciais à coluna.

  • Natação

Este desporto é importante por trabalhar várias partes do corpo, como pernas, abdómen, braços e pescoço. À medida que desenvolve todas estas zonas, são fortalecidos os músculos da área envolvente da coluna.

As explicações são do médico ortopedista Luís Teixeira, fundador e diretor-geral do Spine Center.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.