No centro histórico do Plateau, cidade da Praia, um grupo de artesãos, a maioria mulheres, transformou uma loja de flores numa galeria de arte e café, onde produzem, vendem os seus produtos e compartilham as despesas.

E nesta época festiva, as mulheres não têm mãos a medir para enformar cabazes de natal, com produtos típicos do país, muitos deles feitos na loja, como os artesanais, as bijutarias.

Mas também se pode encontrar vinho e café da ilha do Fogo, doces e licores variados, sabonetes artesanais, chocolate, frutos secos, entre muitos outros produtos.

Maria Rosa Soares, uma das sócias da loja, disse à agência Lusa que a ideia é facilitar a vida das pessoas na escolha dos presentes de Natal, que tanto podem optar pelos cabazes já prontos pela loja, como também adicionar ou retirar algum produto.

“A maior parte dos cabazes que montamos aqui são presentes, para dar ideia às pessoas sobre o que querem comprar neste período de Natal. É que às vezes estamos tão preocupados com o que vamos comprar, às vezes nem temos ideia. Fazemos aqui alguns exemplos, as pessoas aceitam, ou pedem mais produtos”, disse uma das responsáveis da loja.

E para quem vai com pressa, o cabaz é também uma forma de facilitar a escolha, notou.

“Muitas vêm com muita pressa, porque é uma altura que temos muita coisa para fazer, dão uma vista de olhos, levam alguns exemplos, porque dá menos trabalho”, prosseguiu a responsável.

O preço também varia conforme o tamanho do cesto e da quantidade de produtos, explicou Maria Rosa Soares, indicando que pode ir dos mil escudos (9 euros) aos 10 mil escudos (90 euros), ou de acordo com o pedido do cliente.

“As pessoas gostam muito principalmente por essa diversidade de produtos, isso graças ao grupo diversificados que nós temos”, continuou Maria Rosa, referindo que, além de diversificar nos produtos, a loja adapta-se a cada ano às necessidades e desejos dos clientes.

“É uma forma de divulgar Cabo Verde, a filosofia da loja é essa, artesanato essencialmente cabo-verdiano”, referiu, dizendo estar ciente da influência de produtos de outros países da costa ocidental africana no país.

Noutra rua do coração do Plateau, Etelvina Amado também tinha uma loja só de produtos artesanais, mas que há bem pouco tempo passou a vender também produtos de mercearia, uma forma de rentabilizar o espaço e dar mais opções aos clientes.

E por esta época festiva, o que não faltam na loja “Lembrança di terra” são cabazes de natal coloridos, com requinte nos enfeites e recheados de produtos locais, mas também importados.

“Temos cabazes de todos os preços, que variam de 1.500 escudos (13,6 euros) até ao preço que a pessoa quiser”, indicou à Lusa a gerente, recordando que no início, em 2012, a loja tinha muitos pedidos, mas que atualmente o número “reduziu drasticamente”.

Mesmo assim, adiantou que já tem 60 pedidos de quatro empresas da capital cabo-verdiana, com uma média de 15 cada uma, mas vai preparar cestos com produtos até às vésperas da consoada.

“Em Cabo Verde há uma tendência de todo o mundo deixar tudo para a última da hora, mas como temos todos os produtos disponíveis, não nos dá tanta canseira porque é só montar na hora”, explicou a gerente da loja, que também tem por objetivo promover os produtos cabo-verdianos.

Além dos produtos, Etelvina Amado disse que o cabaz vai recheado com uma mensagem a desejar um feliz Natal para toda a família, para que o próximo ano seja melhor que os anteriores e para que os seguintes sejam ainda melhores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.