Os valores do chá: um presente para a humanidade

Paciência, harmonia com a natureza, com nós mesmos e com outras pessoas. Respeito, pureza, tranquilidade, paixão... Todos estes valores ajudam a construir a cultura do chá.

Ao longo da história do chá, muitos valores foram desenvolvidos entre os conhecedores e os seus especialistas … então, esses valores foram transmitidos entre os amantes do chá de geração em geração…

Alguns dos valores do chá, originaram-se através da cultura do povo que produziu a poção encantadora, como é o caso da China. Outros valores surgiram da filosofia que deu origem aos rituais, como demonstrado no Japão. Além disso, diferentes valores estão sendo cultivados com a agricultura moderna que protege o meio ambiente e os agricultores.

É percetível a marca inapagável deixada pela cultura chinesa quando se fala sobre o valor da Paciência. Para trás, está um trabalho de horas, de dias e por vezes, de anos de dedicação a um trabalho artesanal, que é o fabrico do chá: os produtores têm que preparar o solo, cultivar e nutrir a planta, então, esperar a estação apropriada para arrancar cuidadosamente as folhas e processá-las de acordo com tradições antigas ... pode demorar de quatro a cinco anos para fazer a primeira xícara de chá! Todos estes passos exigem uma grande quantidade de dedicação e paciência.
Tradições e utensílios artesanais, mostram a importância da Disciplina, trata-se de um trabalho minucioso e que exige experiência para realizar qualquer tarefa.

Outras culturas, como a India, destacam o valor da Harmonia com a natureza e com as pessoas. Conectando o seu corpo com a sua alma, fazendo parte da natureza... O crescimento do uso responsável dos recursos naturais e o comércio justo, também são considerados novos valores relacionados ao chá.

Os seus valores no Japão são consolidados na sua cerimónia do chá, que é um reflexo da sua cultura. A cerimónia de chá japonesa, Chanoyu, está diretamente relacionada ao Budismo Zen. Que se baseia em quatro princípios: Respeito, Harmonia, Pureza e Tranquilidade.

Comentários