A vida do sem-abrigo que sobreviveu a nove overdoses de heroína e se tornou num magnata

O percurso sinuoso de Khalil Rafati dava um filme de Hollywood. Hoje, aos 46 anos, é conhecido como o magnata dos sumos dos Estados Unidos.

Khalil Rafati foi viciado em drogas, dormiu nas ruas de Los Angeles e esteve à beira da morte várias vezes. A última foi em 2003, quando tinha 33 anos: foi salvo por uma equipa médica equipada com um desfibrilhador automático externo de uma paragem cardíaca fulminante.

Dependente de heroína e de cocaína, Khalil Rafati chegou a pesar 49 kg. "Fui preso mais vezes do que as que me consigo lembrar", disse em entrevista à BBC.

Embora se tenha tentado livrar das drogas várias vezes, Khalil Rafati conta que só depois da nona overdose percebeu que precisava de mudar de rumo - caso contrário, morreria. Foi nessa altura que decidiu passar quatro meses num centro de reabilitação e agora diz-se "limpo" do vício.

Rafati não apenas se afastou das drogas, como se tornou num empresário de sucesso. O ex-toxicodependente enveredou pelo ramo da comida saudável: criou a marca Sunlife Organics, sediada na Califórnia, e graças a dela está milionário. As suas receitas anuais ascendem aos 6 milhões de euros. Tem seis lojas - que vendem  sumos e cafés - e também uma linha de roupa e um site de nutrição. Aos 46 anos, viaja em aviões privados para não perder tempo no mundo dos negócios.

A história de Rafati daria um filme de Hollywood. Nascido em Ohio, é filho de uma mãe judia de origem polaca e de um pai muçulmano. Com uma infância problemática, acabou por abandonar a escola sem qualificações e terminou preso por vandalismo e roubo. Em 1992, aos 21 anos, mudou-se para Los Angeles com o sonho de se tornar numa estrela de cinema. Começou a tocar em bandas locais e vivia do dinheiro que ganhava a lavar carros de estrelas de Hollywood como Elizabeth Taylor e Jeff Bridges.

Apesar disso, rapidamente caiu no mundo das drogas: Rafati terminou a dormir dentro de caixas de papel e a traficar estupefacientes para financiar o vício. Desde que deixou as drogas, começou a trabalhar em dois centros de reabilitação em Malibu, na Califórnia, lavou carros, passeou cães e fez jardinagem. "Consegui economizar dinheiro", conta. "Trabalhava muito, sete dias por semana, 16 horas por dia", cita a referida televisão britânica.

Foi nessa altura que reencontrou um amigo de longa data: "Ele era hippie e começou a ensinar-me sobre vitaminas, comida orgânica, superalimentos", diz. Em 2007, Rafati alugou uma casa e abriu um centro de reabilitação, o Riviera Recovery. Para os hóspedes, Rafati fazia misturas exóticas de sumos. A fama das bebidas saltou as fronteiras do centro e atraiu novos clientes.

Quatro anos depois, Rafati fundou a Sunlife Organics. A primeira loja foi aberta em Malibu. O empresário diz que foi um sucesso instantâneo, com uma receita um milhão de euros no primeiro ano. Hoje, os negócios de Khalil Rafati empregam mais de 200 pessoas. Além da Sunlife Organics, Rafati administra a Riviera Recovery e é dono de um estúdio de ioga em Malibu. Em 2015, escreveu a sua autobiografia: "I Forgot To Die" ("Esqueci-me de morrer", em tradução livre em português).

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários