Liberte as suas emoções

Reprimir as suas ações mais espontâneas pode estar a afetar o seu equilíbrio psíquico e emocional mas também a sua saúde física.

Lisa Feldman Barrett, professora universitária na Northeastern University em Boston e autora do livro «How Emotions are Made», uma das novidades editoriais do primeiro trimestre de 2017 nos EUA, diz que é preciso rever a forma como se olha para as emoções. De acordo com esta especialista, essas sensações geram-se de forma espontânea em várias regiões do cérebro e são, depois, moldadas por uma série de fatores que se prendem com a experiência individual de cada um.

Reprimir ou condicionar essas manifestações psicológicas é, por isso, um comportamento que deve, a todo o custo, evitar. Esta é a estratégia tripartida que deve adotar para melhorar a sua vida e ainda ganhar em saúde:

- Ria

Um sorriso ou uma gargalhada relaxa o corpo e produz endorfinas, a chamada hormona da felicidade, que permite um imediato bem-estar físico, mental e emocional, para além de acionar o sistema imunológico e prevenir doenças provocadas pelo stresse. Além disso, sorrir previne o aparecimento de rugas e atenua os sinais de cansaço.

- Chore

Chorar é benéfico para libertar as emoções e sentirmo-nos melhor. Além disso, impedir o choro provoca a contração dos músculos e a compressão de órgãos, pode fazer subir a tensão arterial e até potenciar o aparecimento de úlceras e disfunções renais.

- Grite

Não em discussões, mas naqueles momentos em que se sentir enraivecido, muito tenso ou com excesso de energia. Gritar alivia o stresse em momentos de tensão, promovendo um relaxamento físico e psicológico. O ideal é, contudo, fazê-lo quando está sozinho, sob pena de gerar atitudes de animosidade por parte dos que o rodeiam.

Veja, também, a galeria de imagens 7 passos rumo à liberdade, que apresenta uma série de estratégias que também pode adotar para se libertar e lar-gar as amarras que, muitas vezes, condicionam o nosso dia a dia.

artigo do parceiro:

Comentários