SIDA: OMS disponível a ajudar Cabo Verde a atingir o estatuto de país livre da transmissão vertical

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está disponível em ajudar o arquipélago a atingir o estatuto de país livre da transmissão vertical do SIDA quer no âmbito da região africana, quer a nível mundial, revelou o representante da organização.
créditos: Inforpress

Mariano Castellon mostrou esta disponibilidade da OMS durante a sua intervenção na II Jornada de Saúde da Região Sanitária Santiago Norte (RSSN), que culminou sábado em Assomada, Santa Catarina, presida pela directora Nacional da Saúde, Maria da Luz Lima.

“Se Cabo Verde conseguir este ganho espetacular, seria o primeiro país africano e um dos poucos países a nível mundial que poderiam ser certificados pela nossa organização (OMS) como países que conseguiram interromper a transmissão vertical desta terrível doença”, lançou.

Segundo este responsável, a organização com sede em Cabo Verde vai, igualmente, continuar a apoiar o país através do Comité de Coordenação do Combate à Sida (CCS-Sida), a enfrentar os efeitos desta epidemia.

O representante desta organização internacional Mariano Castellon, que aproveitou ainda para falar sobre a nova estratégia da ONU no combate ao VIH-SIDA, responsabilizou os homens pela propagação desta doença que pretendem até 2020 que 90 por cento (%) das pessoas seropositivas saibam que estão infectadas com o vírus de VIH.

O VIH-SIDA é a maior epidemia que alguma vez se abateu sobre a humanidade, não havendo uma localidade do planeta que ainda não foi atingida por essa calamidade nosológica. Por isso, é considerada como doença global.

Comentários