Portugueses descobrem manipulação de gene que reverte envelhecimento

Cientistas do Instituto de Medicina Molecular (IMM) João Lobo Antunes descobriram que a manipulação de um gene ajudou a reverter o envelhecimento celular, num estudo com células da pele de ratinhos publicado esta segunda-feira na revista Nature Communications.

A equipa coordenada pelos investigadores Bruno de Jesus e Maria do Carmo-Fonseca verificou que de uma lista de genes 'candidatos' um deles exprimia-se mais em células velhas.

A pergunta que colocaram, e que serviu de ponto de partida para a investigação, foi se "a diminuição dos níveis deste gene nas células velhas" se traduziria num "comportamento idêntico" destas células "ao das células novas".

O estudo concluiu que sim, segundo Bruno de Jesus, que trabalha no laboratório de regeneração genética do IMM, liderado por Maria do Carmo-Fonseca, igualmente presidente do instituto.

VEJA AINDA: 15 coisas que nos tiram anos de vida

SAIBA MAIS: 10 alimentos que lhe dão 10 anos de vida

Bruno de Jesus explicou à Lusa que, à medida que se envelhece, "há uma barreira" na reversão de uma célula adulta para uma célula estaminal (a célula que é capaz de se diferenciar noutras células).

Tornar células adultas em células estaminais

Com uma célula nova, pelo contrário, esse processo de reversão é conseguido, adiantou. Os investigadores comprovaram este mecanismo ao estudarem células retiradas da pele de ratinhos mais velhos e mais novos.

Ao reduzir o gene expresso nas células dos ratinhos envelhecidos, a equipa conseguiu "reverter células adultas em células estaminais".

Comentários