Centro de Saúde de Achadinha vai ser “evacuado” e os serviços transferidos para antigo posto de saúde

O Centro de Saúde de Achadinha vai ser “evacuado” para receber obras de correção de problemas na estrutura do edifício e os serviços vão ser transferidos para as instalações do antigo posto de saúde.

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), default quality

créditos: Inforpress

A informação foi confirmada à Inforpress pela diretora Nacional da Saúde, Maria da Luz Mendonça, adiantando que o edifício vai passar por obras profundas, para corrigir alguns problemas, sobretudo, os sentidos com mais acuidade no período das chuvas.

Maria da Luz Mendonça não avançou detalhes, limitando-se a explicar que este é um assunto que está sob a alçada da Direção-geral do Orçamento e Planeamento (DGOP) do Ministério da Saúde e da Solidariedade Social, que é responsável pelas infraestruturas a nível nacional.

O centro de Saúde de Achadinha foi inaugurado em Janeiro de 2009 e custou cerca de 67 mil contos.

Numa carta a que a Inforpress teve acesso, em que a Direção do Património e da Contratação Pública pede à Associação Desportiva do Bairro Craveiro Lopes para desocupar as instalações do antigo posto de saúde, fala-se da “necessidade de evacuação urgente do Centro de Saúde de Achadinha devido a problemas estruturais”.

Já em 2014, a TCV, numa reportagem, tinha chamado a atenção sobre o caso, sublinhando que a infraestrutura apresentava graves problemas de infiltração, humidade e fissuras enormes na parede e no chão que tiravam tranquilidade aos utentes e aos profissionais que ali laboram.

Na altura, a Direção-geral das Infraestruturas e o Laboratório de Engenharia Civil (LEC) , depois de realizada uma inspeção técnica, garantiam que a estrutura do edifício não estava comprometida, ou seja, não corria risco de cair e nem oferecia risco às pessoas.

Contudo, obras deviam ser realizadas para corrigir as falhas que estavam a provocar tais problemas.

Comentários