Intoxicação alimentar

Saiba os cuidados acrescidos que deve ter para evitar este problema

Provocada pela ingestão de alimentos contaminados, a melhor forma de evitar uma intoxicação alimentar é aprumar-se na higiene das mãos e dos utensílios de cozinha.

Trata-se de um envenenamento provocado por produtos químicos, microrganismos ou parasitas através de alimentos contaminados.

O grau de intoxicação é, habitualmente, mais grave em crianças, idosos e grávidas.

Causas

Má higiene no manuseamento de alimentos, produtos mal embalados, problemas na cadeia de frio em alimentos congelados e elaboração incorreta (alimentos que permanecem crus ou mal cozinhados). São algumas das principais causas deste problema.

Sintomas
Vómitos, diarreias, febre, dores de estômago, dores musculares e problemas de mobilidade são os sintomas mais comuns.

Tratamento

Nos casos menos graves, a recuperação é feita com repouso e compensação da desidratação provocada pela diarreia e pelos vómitos. Recomenda-se a ingestão de muitos líquidos (água, sumos e caldos), evitando o leite e as bebidas com cafeína, e não ingerir alimentos sólidos até à remissão da diarreia. De qualquer modo, é sempre aconselhável procurar um médico.

Intoxicação grave

Quando a intoxicação é provocada pela ingestão de toxinas provenientes de cogumelos, peixes ou mariscos, deve-se acudir imediatamente às urgências para evitar um desenlace fatal.

Recomendações

Eis algumas medidas que ajudam a prevenir intoxicações:

- Lave bem as mãos e os utensílios antes de cozinhar.

- Não coloque a comida cozinhada no mesmo prato em que esteve crua.

- Não ingira alimentos com a embalagem deteriorada ou deformada.

O período mais crítico

Entre uma a 48 horas. Este é o tempo que vai desde a ingestão do alimento contaminado até surgirem os sintomas iniciais da intoxicação.

Comentários