Dieta do chocolate

É, paradoxalmente, o sonho de muitos dos que querem emagrecer mas não resistem a este alimento. Descubra o plano alimentar que o vai pôr a comer chocolate e a perder peso ao mesmo tempo.

Dieta. Palavra tantas vezes associada à ideia de sacrifício. Mas será que tem de ser sempre assim? Não! Na Prevenir acreditamos que para perder peso não é preciso seguir um regime monótono e sem sabor. Convictos desta ideia imaginámos um plano alimentar tão tentador que até as mais magras desejassem ter necessidade de o seguir. Para o concretizar lançámos o desafio a Marisa Costa, dietista.

Pedimos-lhe que elaborasse uma dieta que permitisse perder até quatro quilos num mês. Com uma condição. O chocolate, esse alimento a que muitas pessoas não resistem, deveria estar incluído. Todos os dias da semana, já imaginou? O resultado é uma verdadeira delícia light. Veja também a galeria de imagens com alimentos que a ciência garante que emagrecem, onde também se inclui o chocolate.

Alimento rico

O alimento central escolhido para esta dieta não é puro acaso. Para além de ser um dos mais apreciados, inclui propriedades benéficas para a saúde. «O que o chocolate tem que o torna tão rico a nível nutricional é o cacau. Contém flavonoides com poder antioxidante e anti-inflamatório, que ajudam a prevenir o aumento do colesterol LDL e assim reduzir o risco de doenças cardiovasculares», defende Marisa Costa.

«O cacau é ainda rico em minerais como o magnésio, ferro e crómio e vitaminas A, B, C e D», explica ainda a especialista, acrescentando que, para obter o máximo de benefícios deste ingrediente, deve «optar por chocolate com mais de 70 por cento de cacau na sua composição». Não perca também a galeria de imagens que lhe mostra as calorias que muitas especialidades gastronómicas escondem.

Saber escolher

O chocolate preto é também a melhor opção para quem quer perder peso. «É a variedade com a menor quantidade de manteiga e de açúcar, por isso é a mais indicada em situação de dieta», esclarece a especialista ressalvando, no entanto, que não se trata de um alimento essencial e que deve ser consumido com moderação. «Podemos ir buscar os benefícios do chocolate negro a outros alimentos», esclarece.

A dietista aponta como exemplo «a fruta e os vegetais, com um valor calórico inferior e que nos fornecem outros nutrientes importantes como as fibras e a água». «O chocolate deve funcionar como um pequeno prazer que temos de vez em quando», sublinha, contudo. Antes de iniciar o plano de uma semana que a especialista propõe, conheça também as 50 regras que o vão ajudar a emagrecer.

Os chocolates que deve privilegiar

Saiba o que diferencia os diferentes tipos de chocolate e escolha o que melhor se adequa a si:

- Chocolate preto

Contém 469 kcal por 100 g. É a variedade com maior teor de cacau e menor quantidade de manteiga e de açúcar.

- Chocolate branco

Contém 536 kcal por 100 g. Feito à base de manteiga de cacau contém mais leite, açúcar e gordura.

- Chocolate de leite

Contém 546 kcal por 100 g. O seu processo de fabrico faz com que leve mais leite, mais açúcar e mais gordura e uma menor percentagem de cacau.

- Chocolate em pó

Contém 452 kcal por 100 g. Utilizado na confeção de bolos, bebidas e cremes é feito a partir da amêndoa de cacau moída. Quanto maior for a sua percentagem de cacau, menor será o teor de gordura e de açúcar.

- Chocolate com amêndoas

Contém 575 kcal por 100 g. Tem um teor elevado de açúcar e gordura e é mas calórico.

- Chocolate sem açúcar: 474 kcal

Contém 474 kcal por 100 g. Leva na sua composição frutose, que é absorvida mais lentamente pelo organismo, mas cujo valor calórico é idêntico ao da sacarose (4kcal/1g). O teor de gordura é superior.

Veja na página seguinte: O plano para sete dias que deve seguir

Comentários