O que fazer para disfarçar as estrias

Milhões de mulheres em todo o mundo sofrem com elas. Também afetam os homens mas menos. São difíceis de eliminar mas podem ser quase sempre evitadas. Saiba como!

Ter uma pele lisa e firme é um desejo comum a qualquer mulher. Por isso, não admira que as estrias sejam, a par da celulite, um dos piores inimigos do sexo feminino, afetando anualmente milhares de mulheres em todo o mundo e também muitos homens. As estrias não são mais do que cicatrizes cutâneas originadas por uma alteração que ocorre a nível das fibras de colagénio e de elastina.

Embora sejam visíveis na epiderme, a camada superior da pele, têm origem na derme, o estrato intermédio da cútis, quando se dá a distensão dos tecidos. Aparecem sem aviso prévio e instalam-se para ficar. Contudo, com a ajuda de cremes e de produtos com fórmulas gordas ou tratamentos estéticos, podem ser atenuadas ou, em casos pontuais, até mesmo eliminadas.

Ninguém está a salvo

De acordo com Manuela Cochito, dermatologista, as estrias «podem aparecer em várias fases da vida, mas é evidente que a adolescência e a gravidez são períodos muito propícios ao seu aparecimento». No primeiro caso, porque se dá um crescimento rápido, no segundo devido não só ao aumento de peso, mas também a alterações hormonais que tornam os tecidos que sustentam a pele menos compactos.

O aumento e perda de peso bruscos ou a ingestão de anabolizantes (que também originam uma variação de volume rápida) são outras das causas destas inestéticas riscas na pele. Os glúteos, o abdómen, a região lombar e os seios são as zonas mais castigadas pelas estrias, mas estas podem surgir por todo o corpo, como sublinham muitos especialistas.

«São mais frequentes nas mulheres, todavia, os homens são igualmente afetados por este problema, sobretudo os que praticam culturismo ou musculação e os que tomam androgénicos», sublinha a especialista. Em fevereiro de 2017, um estudo da Faculdade de Medicina de Jundiaí, no Brasil, associou a incontinência urinária feminina à existência de estrias graves.

Fórmulas com retinol

A evolução deste problema é gradual. Numa primeira fase, as linhas têm um tom avermelhado, devido ao rompimento dos vasos sanguíneos, mas com o passar do tempo ficam esbranquiçadas e são mais difíceis de tratar. «Quando estão numa fase inicial, os cremes anti-estrias ricos em derivados de vitamina A, como a tretinoína e retinol são muito eficazes», explica Manuela Cochito.

«Estas substâncias provocam uma esfoliação da pele e estimulam a produção novas fibras de colagénio e elastina», explica a dermatologista. Em muitos casos, as estrias não desaparecem totalmente, todavia, o aspeto da pele melhora bastante. Numa fase avançada, embora as possam disfarçar, os cremes são menos eficazes e demoram mais tempo a atuar, alertam contudo os especialistas.

Veja na página seguinte: A cirurgia para as estrias

Comentários