Casamento: a importância do anel de noivado em diferentes culturas

Na cultura ocidental o anel de noivado é usado na mão esquerda e somente pela mulher. Segundo a tradição, acredita-se que o dedo anelar da mão esquerda tem uma veia que está ligada directamente ao coração, conhecida como vena amoris. Mas nem todas as culturas usam o anel de noivado.
créditos: Pixabay

O anel de noivado, tal como o conhecemos hoje em dia, foi adoptado inicialmente pela cultura Egípcia, mas a tradição começou muito antes, com o Homem de Neandertal. Na altura, quando um casal ficava noivo, atavam-se ramos, relva e juncus à volta do pulso ou tornozelo da noiva, um procedimento que era encarado como sinal de fidelidade e amizade entre os noivos.

Tendo em conta o mundo em que vivemos, repleto de diferentes culturas e tradições, será que o tradicional pedido de casamento se processa da mesma forma nos outros países? Será que dão importâncias às mesmas tradições que os portugueses? Vamos fazer uma viagem pelo mundo e desvendar alguns factos e curiosidades surpreendentes sobre o anel de noivado.

Na Noruega, Rússia e Alemanha as noivas usam o anel de noivado na mão direita em vez da esquerda. Já no Chile tanto os homens como as mulheres recebem anéis de noivado, que depois usam na mão direita. Depois do casamento, passam a usá-lo na mão esquerda.

Na Argentina os casais só trocam anéis quando ficam noivos, dispensando a usual troca de alianças durante a cerimónia religiosa e civil, enquanto que na cultura indiana, a tradição manda que as mulheres usem o anel nos dedos dos pés, conhecido como Bichiya. Na América do Norte, algumas tribos usam anéis de prata adornados com pedras sem-preciosas ou matérias naturais, como é o caso do coral.

Na Irlanda, a noiva é presenteada com o anel Claddagh, visto como parte importante da cultura irlandesa. O anel - símbolo do amor eterno - tem desenhado um coração, segurado por duas mãos, com uma coroa no topo. Se for usado na mão direita com o coração a apontar para o nosso coração significa que a pessoa que o usa está comprometida. Se for usado na mão esquerda com o coração na mesma direção é sinal de que a pessoa que o usa já encontrou o amor eterno.

Em certas culturas nórdicas, como é o caso da Suécia, os homens e as mulheres trocam anéis de noivado entre si. Normalmente são alianças simples em ouro ou em prata. Em França, por exemplo, é usual as mulheres escolherem pedras sem-preciosas em vez de grandes diamantes.

Mas certas culturas prescindem do uso do anel e optam por outros adereços. Os guerreiros Samburu, oriundos do norte do Quénia, usam colares ao pescoço com cores muito especificas indicando que estão noivos. Já na zona ocidental de Bengala, na Índia, as mulheres são presenteadas com pulseiras de metal em vez do tradicional anel de noivado.

Na China é comum os casais trocarem-se, entre si, dinheiro e outros bens em vez do típico anel de noivado. No entanto, e apesar de não fazer parte da sua cultura, existem muito chineses que adotam a troca de alianças.

Existem grandes diferenças entre as várias culturas quando se fala em compromisso ou casamento, mas uma coisa é certa: a importância que o casamento e a família desempenham nas suas vidas é comum a todas elas.

Comentários