Alegado caso de violação de Cristiano Ronaldo 'abafado' com 258 mil euros

Uma mulher americana terá dado entrada numa estação da polícia em Las Vegas, em 2010, para reportar um caso de violação cometido por Cristiano Ronaldo. Não terá avançado porque advogados do jogador pagaram 258 mil euros à queixosa, de acordo com o revelado agora pelo Football Leaks.

O site Football Leaks avança esta sexta-feira com a informação de que Cristiano Ronaldo terá pagado, em 2010, 375 mil dólares (na altura, o equivalente a 258 mil euros) para silenciar uma alegação de violação feita por uma mulher, em Las Vegas.

O acordo celebrado entre a queixosa e Cristiano Ronaldo estabeleceria a obrigação de confidencialidade, ou seja, seria guardado segredo sobre o caso, que terá ocorrido numa manhã de 13 de junho de 2009.

O acordo extrajudicial terá sido celebrado sete meses depois, em janeiro de 2010, na presença de um mediador do estado norte-americano do Nevada e do advogado do português, Carlos Osório de Castro.

No entanto, o diário alemão Der Spiegel, a quem o Football Leaks revelou a informação, entrou em contacto com o atual advogado do avançado luso em Munique, Johanes Kreile, que negou de forma contundente as alegações. "A julgar pelas perguntas realizadas, as acusações devem ser rejeitas contundentemente porque são incorretas", esclareceu.

Johanes Kreile acrescentou que Cristiano Ronaldo levará a cabo "ações legais contra declarações falsas ou qualquer prejuízo aos seus direitos pessoais" e aconselhou o diário alemão a abster-se "de informar" sobre o assunto.

O Der Spiegel contactou ainda Carlos Osório de Castro, advogado na altura, que defendeu ser política da sua empresa não comentar publicamente assuntos relacionados com clientes. Ressalvou, no entanto, que não devem ser tiradas conclusões da sua opção de não comentar.

Comentários