Filhos com férias GRANDES e pais com férias pequenas

Apesar deste período ser uma alegria para as crianças e jovens, para as suas famílias é muitas vezes uma “forte dor de cabeça”. Equacionando algumas das preocupações, apresenta-se de seguida algumas dicas que podem ser úteis para ajudar as famílias.

Com a chegada do verão e do calor chegam também as tão esperadas férias grandes, para as crianças e jovens. Estas férias são sentidas como a recompensa por todo o seu esforço e trabalho ao longo do ano, e para muitos a sua época preferida. As chamadas férias grandes têm algo de especial, quando comparadas com as restantes interrupções letivas, que ocorrem ao longo do ano.

Nas férias grandes não são apenas os dias que são maiores, mas também as brincadeiras, o tempo de dormir, o tempo de não fazer nada, o verdadeiro tempo de ser criança ou jovem, ou pelo menos, é assim que são expectáveis.

Contudo, apesar deste período ser uma alegria para as crianças e jovens, para as suas famílias é muitas vezes uma “forte dor de cabeça”. Afinal, os pais não conseguem cerca de 3 meses de férias e muitas vezes, a não se consegue ter férias em conjunto, o que torna necessário procurar respostas para a ocupação do tempo dos seus filhos.

Com o aproximar deste período muitas famílias questionam-se sobre onde inscrever o seu filho, que tipo de atividades serão as mais indicadas para a sua idade e gosto, qual a melhor oferta qualidade/preço, quais as entidades que promovem este tipo de atividades de ocupação de tempos livres, se os monitores que irão acompanhar o seu filho têm ou não competências efetivas para a responsabilidade do cargo ocupado e para muitas famílias de crianças com necessidades especiais acrescem, ainda, as preocupações face à toma de medicação, à realização de atividades adaptadas às competências do seu filho, a existência de equipas de saúde próximas e de rápida intervenção (em caso de necessidade) e se a equipa técnica está capacitada para comunicar e interagir adequadamente com o seu filho.

Equacionando estas preocupações, apresenta-se de seguida algumas dicas que podem ser úteis para ajudar as famílias a refletir sobre este assunto e claro está, tendo sempre em atenção a capacidade do orçamento familiar.

É importante que que nas férias grandes, as crianças e os jovens frequentem atividades lúdicas, desportivas, musicais, artísticas, de aventura, de exploração de novas áreas e temas, de descoberta em ambientes diferentes, de descanso e de vários momentos em família e/ou com amigos.

É igualmente importante que a criança e o jovem possam participar em atividades onde os seus amigos de referência também estejam inscritos, de forma a que a sua motivação para frequentar essas atividades esteja desde logo garantida.

Outro dos pontos que nos parece importante salientar prende-se com a organização de atividades, nomeadamente a existência de atividades diversificadas ao longo das semanas, mesmo que algumas vezes se mantenha a mesma estrutura ou sequência. Esta diversidade permite que a criança e o jovem possam aprender/adquirir, de formas diversas, competências pessoais e sociais importantíssimas para o seu dia-a-dia e desenvolvam a sua autonomia.

No que respeita aos horários, sabemos as dificuldades em conjugar horários de entrada e saída dos empregos, com os horários dos Centros de Ocupação de Tempos Livres (COTL), sendo por isso importante que o COTL escolhido tenha isso em consideração, principalmente no início e final do dia, quando não existe o grande grupo. Por exemplo permitir a realização de atividades da iniciativa da criança, disponibilizar momentos para descanso, permitir a brincadeira com brinquedos que a criança trouxe de casa, momentos de jogos de tabuleiro, visionamento de um filme, entre outros.

No seu plano de atividades, muitos COTL apresentam no final do campo/colónia de férias uma pequena festa, que preparada durante as semanas vão potenciando o espírito de grupo e de sentimento de pertença da criança em relação ao grupo onde se encontra inserida, bem como deixar uma marca positiva e na maioria das vezes, uma forte intenção de regressar nas férias seguintes.

A seguir, mais dicas para as férias

Comentários