O que eu mais gosto de fazer com os meus avós

O testemunho de seis crianças e os benefícios das suas atividades preferidas apontados por especialistas, que enaltecem os seus benefícios. Para os netos e para os avós!

Embora o papel dos avós dependa de múltiplos fatores como as características da família, a idade e a situação profissional do avô ou da avó ou até da proximidade física, esta é uma relação, por norma, próxima e especial, que deve ser preservada. «Alguns estudos revelam que os netos que convivem regularmente com os avós apresentam mais generosidade e autoestima, melhor rendimento académico e inteligência emocional, menores taxas de depressão e ansiedade, bem como uma melhor relação com os seus pares», refere Rita Castanheira Alves, psicóloga infanto-juvenil.

«No entanto, estes benefícios também dependem muito do tipo de relação, das características individuais e familiares, entre outros fatores», destaca a especialista. Mas esta relação não é só favorável para os netos. Maria João Quintela, médica de clínica geral e presidente da Associação Portuguesa de Psicogerontologia, afirma que «o convívio e as atividades desenvolvidas com os netos são um enorme fator protetor do risco de isolamento e depressão nos mais velhos».

No âmbito do Dia dos Avós, seis crianças contam à Prevenir o que mais gostam de fazer com os avós e as especialistas apontam os benefícios desta interação para os mais novos e para os mais velhos. Estes são os relatos dos mais pequenos e os conselhos que os especialistas apontam para valorizar as suas aptidões:

- «Fazer truques de magia», afirma João, 14 anos

Os netos beneficiam desta atividade porque «desenvolvem o raciocínio lógico, a criatividade, os conhecimentos de causa-efeito e a curiosidade, além  de treinarem a persistência. Terão de ensaiar várias vezes até conseguirem concretizar bem os truques. Ao terem de atuar para os outros, também adquirem competências sociais. Em alguns truques, poderão desenvolver a capacidade de coordenação motora e a motricidade», indica Rita Castanheira Alves, psicóloga clínica infanto-juvenil.

Os avós também beneficiam porque «proporciona momentos de alegria e diversão, além de ajudar a estimular competências cognitivas importantes como a capacidade de imaginação e a criatividade», refere Maria João Quintela, presidente da Associação Portuguesa de Psicogerontologia. Com este tipo de atividades, os avós podem ajudar os netos a desenvolver competências sociais.

Durante o espetáculo de magia, procure mostrar curiosidade e surpresa perante os truques que a criança faz.  Essa demonstração é essencial para desenvolver a sua autoestima e autoconfiança. Crie um cenário com adereços de magia, promovendo a imaginação, a fantasia e a experiência de outros papéis. Inverta os papéis com o seu neto e tente também aprender alguns truques para o ensinar.

Veja na página seguinte: A menina que gosta de jogar à bola com os avós

Comentários