Aeroporto na Irlanda cria sala sensorial para crianças com autismo

Esta é a primeira sala sensorial de um aeroporto europeu preparada para receber crianças com autismo ou necessidades especiais. As famílias agradecem a iniciativa e esperam que outros aeroportos sigam o exemplo.
créditos: @Shannon Airport

"Ir para um aeroporto com uma criança que tem autismo pode ser uma situação muito stressante para as famílias. Mas chegar ao aeroporto de Shannon e ter um espaço próprio para estas crianças e pais, é muito gratificante. O que precisamos é que outros aeroportos na Europa sigam o mesmo exemplo", afirma Gearoid Mannion da associação "Ennis Voices for Autism" num vídeo divulgado pelo aeroporto de Shannon, na Irlanda.

A sala sensorial para crianças que sofrem de autismo, ou têm necessidades especiais, tem como objetivo tornar o tempo que as famílias têm de estar no aeroporto o mais agradável e menos stressante possível. As crianças que sofrem deste disturbio têm dificuldade em relacionar-se com outras pessoas, falar e comunicar e não gostam de mudanças. Por isso, um aeroporto com toda a agitação, barulho e afluência de pessoas torna-se num local perturbador quer para elas, quer para os pais.

A sala sensorial do aeroporto de Shannon com a sua iluminação fraca e almofadas confortáveis pretende ser um refúgio seguro para as crianças até que estejam prontas para embarcar no seu voo.

De acordo com os responsáveis do aeroporto, a sala foi projetada pela empresa "Adam & Friends" e adaptada para ser um local de efeito calmante longe de toda a agitação de um aeroporto. As paredes são onduladas, mudando de cor (as luzes utilizadas são LED), tem um projetor que roda, um tubo com água e peixes, entre outras atividades divertidas.

Veja aqui o vídeo sobre a sala sensorial do aeroporto de Shannon:

Fora da Europa, a Delta Airlines criou o ano passado uma sala sensorial no aeroporto de Atlanta, nos Estados Unidos.

O Dia Mundial do Autismo é celebrado todos os anos a 2 de abril.

Veja também: Autismo: O mundo de Bruno é feito de desenhos

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários