Quando a dieta interfere com uma relação amorosa

Apesar de muitos especialistas defenderem que emagrecer em casal é positivo, também são muitos os casos em que tentar perder peso se torna num obstáculo que afeta a vida a dois.

O impacto de uma dieta não se resume, obviamente, à vida social. A nova rotina alimentar também interfere na vida de um casal, principalmente quando a maioria das refeições são partilhadas com a cara-metade. Seja pelo desencontro de objetivos, quando o companheiro não quer fazer dieta e vê as suas refeições limitadas, seja pelo desencontro de expetativas, quando o parceiro pode não concordar com a dieta da parceira.

Rita Salgueiro, uma das muitas portuguesas que já tentaram perder peso, confessa que durante uma das suas dietas teve algumas discussões com o seu companheiro, que achava que ela já estava demasiado magra e que não precisava de continuar a emagrecer. «Lembro-me que os constantes alertas do meu namorado naquela altura para eu engordar acabaram por interferir na minha motivação», recorda.

A psicóloga Catarina de Castro Lopes confirma o peso que a pressão masculina poderá ter na dieta da companheira. «Se o parceiro não concordar com a dieta, então poderá influenciar a companheira a desistir dela», disse, em entrevista à revista Saber Viver. «O ideal é que aceite e que a apoie. Contudo, o mais importante é a firmeza e a assertividade na forma como a mulher comunica os seus objetivos», defende.

A frase que eles não gostam de ouvir

Mas, mesmo quando os homens concordam com a perda de peso das companheiras, uma dieta não deixa de ser motivo de conflitos no seio do casal. «Muito frequentemente, são os companheiros que convidam as namoradas para jantar fora e que ouvem mais vezes o seu discurso mais direto», conta a nutricionista Iara Rodrigues. «Não, não posso porque estou de dieta» é uma das frases mais proferidas em situações como essa.

Uma postura errada que deverá ser evitada, de acordo com ambas as especialistas. «Se está a fazer dieta, não tem de ficar privada de ir jantar fora com o namorado ou com os amigos, desde que seja consciente e saiba controlar os eventuais excessos que poderá cometer nessas ocasiões», alerta Iara Rodrigues. Contudo, os excessos deverão ser evitados e não deverá ceder aos impulsos.

«É necessário que faça as suas próprias escolhas alimentares, independentemente das do seu parceiro», refere Catarina de Castro Lopes. Se ele não está a fazer dieta, o melhor é nem sequer olhar para o que ele ingere. «Pode tornar-se mais difícil resistir à tentação quando vê os outros a comerem outro tipo de alimentos, mas nessas alturas lembre-se das suas motivações para a perda de peso», acrescenta ainda a especialista.

Aprender a gerir as refeições em família

Outra dificuldade que surge frequentemente tem que ver com o facto de a mulher ser, por norma, o único membro da família a seguir a dieta em causa e sentir que os familiares não colaboram. Os alimentos calóricos que estes levam para casa são verdadeiras tentações e os horários, muitas vezes, desregrados só somam mais um obstáculo ao sucesso de uma dieta. Para estes casos, Catarina de Castro Lopes sugere uma abordagem familiar.

Uma postura que alerte para a importância de haver a colaboração de todos. O mesmo conselho pode aplicar-se aos casais que vivem juntos e que partilham as suas refeições. Um estudo publicado no Journal of the American Medicine Association concluiu que homens e mulheres são muito mais propensos a adotar comportamentos saudáveis, nomeadamente uma dieta mais regrada ou a prática regular de exercício físico, quando envolvem os seus parceiros nesse compromisso.

«Na maior parte das vezes, são os hábitos alimentares, aprendidos e mantidos em família, que estão na origem de uma alimentação desadequada e do consequente excesso de peso. Toda a família poderá beneficiar de novos hábitos alimentares e aprender a ter uma alimentação saudável», elucida Catarina de Castro Lopes. Dê o mote para que todos comecem a fazer escolhas mais saudáveis.

Texto: Sofia Santos Cardoso

artigo do parceiro:

Comentários