"Music inclusive show” contará com participação de jovens artistas cabo-verdianos, como Elly Paris, Dieg, o referenciado como jovem poeta urbano, Edyoung e o “rapper” Joahson “que têm vindo a contribuir, com a sua música e sua arte na disseminação da mensagem de respeito pelos direitos humanos, a inclusão, e igualdade de lésbicas, gays, bissexuais e pessoas transgéneros (LGBTI) ”.

Para o efeito, o Escritório das Nações Unidas em Cabo Verde junta-se aos parceiros, designadamente autoridades nacionais, municipais e a sociedade civil, com o propósito de socializar e dar visibilidade às actividades e resultados da campanha, “que têm tido igualmente um reconhecimento a nível internacional”.

Com a realização deste momento artístico e de celebração, cita uma nota do Escritório das Nações Unidas em Cabo Verde, pretende-se contribuir para promover uma maior consciencialização social sobre os direitos humanos LGBTI e os princípios da igualdade e de inclusão, através da arte e da criação.

A mensagem da Campanha Livres e Iguais vai ser transmitida através de criações artísticas, utilizando as artes no geral e as plásticas, em particular, visando a igualdade humana e do respeito pela diversidade sexual e de género.

A campanha Livres & Iguais, recorde-se, foi implementada com o apoio de diversos parceiros, dentro e fora da ONU, nos diferentes países, como uma iniciativa do Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), lançada em Julho de 2013.

Constitui propósito desta campanha promover uma ampla informação pública das Nações Unidas, global e sem precedentes, com o objectivo de promover direitos iguais e tratamento justo para pessoas LGBTI.

Em 2017, a ONU Livres & Iguais alcançou 2,4 bilhões de linhas do tempo nas redes sociais de todo o mundo e gerou correntes de materiais vastamente compartilhados, incluindo “vídeos poderosos, imagens impactantes e notas informativas com vocabulário acessível”.