O Poeta lounge & food, em Achada Santo António, apresenta um menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa no valor de 2.500 escudos por pessoa, acompanhado pela voz do artista Hilário Silva.

O snack-bar, restaurante e grill Bon Vivant, na Achada Santo António, sugere uma entrada romântica com o Afroditye (cocktail de camarão com ananas) e Lapidu na Bó (lapas estufadas) acompanhado ainda com arroz de marisco malandrinho, bacalhau a lagareiro e tentação de carne, sendo a sugestão de sobremesa alma gémea, poção de amor e baby black, tudo no valor de 3.600. por casal.

Para celebrar o dia o Hotel Oásis Praiamar propõe um pacote para um jantar romântico no Restaurante Prainha, alojamento mais jantar romântico por 7.990 escudos e alojamento, jantar romântico mais pequeno-almoço por 12.490 escudos por casal.

Para a época mais romântica do ano, o Hotel Pestana Trópico oferece um jantar para casal no valor de sies mil escudos, um jantar mais alojamento e tratamento vip por 16 mil escudos casal.

Na noite do dia 14 o restaurante bar, Kebra Cabana, vai ter uma noite “muito especial” com músicas ao vivo, fogueira e jantar com preço especial para casal três mil escudos e individual dois mil escudos.

O D’Concept oferece uma noite especial para duas pessoas no valor de cinco mil escudos, enquanto o Quintal da Música, no Platô, sugere um jantar romântico para casal no valor de 5.800 escudos e individual a 2.800 escudos com oferta de uma garrafa de vinho.

A par os jantares pode ser, também, uma boa opção surpreender a sua alma gémea com prendas especiais e ideal para a ocasião, de acordo com os gostos de cada um variando desde os tradicionais chocolates, os corações e peças intimas que estimulam o amor, um perfume ou uma joia.

De acordo com a tradição, o dia 14 de Fevereiro relembra o aniversário de morte de São Valentim, mártir cristão que, provavelmente, viveu durante o século III. Nesse período, o imperador romano Claudio II proibira os casamentos, por acreditar que os homens solteiros e sem responsabilidades familiares eram melhores soldados.

Valentim, o Santo padroeiro dos namorados, se opôs a essa decisão concedendo as bênçãos matrimoniais a jovens noivos de forma clandestina, pelo que a rebeldia o levou à prisão e acabou decapitado no ano de 270.

Durante o período em que esteve preso, Valentim ter-se-ia apaixonado por uma jovem, filha do carcereiro, com quem manteve um romance secreto. Antes de sua morte, o religioso escreveu uma mensagem em que assinou “do seu Valentim”, criando aquilo que se tornaria no primeiro cartão de dia dos namorados.

Histórias ainda relatam que na Idade Média, esta data era assinalada quando acontecia o acasalamento entre os pássaros, por isso, muitos namorados aproveitavam para deixar recados de amor na soleira da porta da companheira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.