Christine McConnell podia ficar-se apenas pelos bolos. O talento bafejou-a com uma generosa dose de criatividade. Contudo, esta norte-americana fez das suas paixões de infância, a literatura e o cinema, um produtivo campo de criação artística. Christine casa a confeitaria com a fotografia e com requintadas produções de moda. Duas características associadas ao seu trabalho: o gosto pelo grotesco e pela estética associada às décadas de 1940, 1950 e 1960.

Natural de Los Angeles, McConnell cresceu frente ao pequeno ecrã e às telas de cinema, fascinada com os filmes de Tim Burton, Hitchcock ou Ridley Scott. Christine nutria, paralelamente, admiração pelas figuras graciosas de Rita Hayworth, Grace Kelly e Cyd Charisse. A menina cresceu, tornou-se modelo, estudou fotografia, apurou os seus dotes confeiteiros. Um cocktail que no caso desta jovem de 32 anos acabou por desaguar num trabalho que se tornou viral na Internet.

McConnel conta neste momento com perto de 240 mil seguidores no Instagram, plataforma onde publica regularmente os seus trabalhos sempre desconcertantes. Christine tanto pode assumir o papel de uma dona de casa exemplar, saída de uma fotografia dos anos de 1950, como alimentar os nossos pesadelos com bolos e biscoitos inspirados nas figuras mais perturbantes do terror na Sétima Arte.

Os trabalhos de Christine integram, atualmente, produções publicitárias e revistas. Como estilista trabalha para diversas celebridades de Hollywood e participa em produções cinematográficas.

A artista partilha com o público a arte de elaborar sobremesas aterradoras no seu livro “Deceptive Desserts”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.