“Este ano temos algumas inovações, pois, além de premiar os melhores trabalhos de televisão, rádio, jornais e Internet, vamos premiar os melhores trabalhos da área do Branding (conjunto de actividades destinadas exclusivamente à criação de gestão de uma marca) e Branding Activation (actividades efectuadas no quadro de promoção e activação da marca através de meios não convencionais de comunicação), tendo em conta a evolução deste sector em Cabo Verde”, precisou Maria da Luz Martins.

Segundo a administradora da EME-Marketing & Eventos (empresa de consultoria em marketing e organização de eventos), vai haver ainda prémio relativa à campanha Integrada, de Responsabilidade Social, Agência Internacional, assim como Prémio Júnior Universitário, os quais já fazem parte das categorias a serem atribuídas.

“Neste momento, já há concorrentes inscritos e acreditamos que este ano vamos ter muito mais participantes em relação à edição anterior”, acredita Maria da Luz Martins, que se mostra expectante que a edição deste ano contará com mais participação de trabalhos concorrentes nas áreas da Rádio, Print e da Internet.

Lembra que nas anteriores edições se começou a notar uma evolução, tanto qualitativa como quantitativa no sector da publicidade Rádio, Print e Internet, mas, de acordo com a administradora da EME-Marketing, não se tem verificado a candidatura de muitos trabalhos nesses sectores.

Na área da Televisão, este ano, vão ser atribuídos oficialmente três prémios nas categorias de Gold, Silver e Bronze, tendo em conta a evolução desse sector.

Maria da Luz Martins explica que o prémio TV nas citadas três categorias tornou-se este ano oficial conforme o regulamento.

“Nas anteriores edições foi o júri que decidiu atribuir mais do que um prémio no sector da Televisão, tendo em conta a qualidade dos trabalhos concorrentes”, indicou aquela responsável, adiantando que o regulamento vem sendo melhorado de edição para edição, de acordo com a evolução do próprio sector.

À semelhança da edição anterior, este ano vai haver também o chamado Prémio Público, o qual é escolhido por votação da sociedade civil, o que significa que este nada tem a ver com júri.  Para o efeito “as peças serão disponibilizadas numa plataforma em parceria com a Sapo.cv e ali as pessoas podem votar”, adiantou Maria da Luz Martins.

Os vencedores dos prémios serão conhecidos a 15 de Março, mas em Fevereiro o jurado reúne-se para abrir as a várias propostas concorrentes.