Badawi cumpre uma pena de dez anos de prisão, mil chicotadas e uma multa por insultar valores islâmicos ao ter criado um blogue defendendo o diálogo político na Arábia Saudita.

O ativista foi já castigado com 50 chicotadas em janeiro, tendo as restantes sido adiadas.
Badawi partilhou a lista de finalistas ao Prémio Sakharov com a oposição democrática na Venezuela e o opositor russo Boris Nemtsov, a título póstumo.

O prémio, que celebra a liberdade de pensamento, será entregue em Estrasburgo no dia 16 de dezembro.

O Prémio Sakharov, no valor de 50 mil euros (55 mil dólares), foi entregue, em 2014 ao ginecologista congolês Denis Mukwege, especializado no tratamento de mulheres vítimas de violência em África.

Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o galardão foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, ao bispo Zacarias Kamwenho (Angola).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.