O evento que assinalou o 12º aniversário da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro, ACLCC, teve como o principal objetivo angariar fundos que vão ser revertidos a favor de projetos ligados a famílias e doentes oncológicos. A gala decorreu no dia 29 de novembro, sexta-feira, na Assembleia Nacional, na cidade da Praia.

Segundo a presidente da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro, Cornélia Miranda, estes 12 anos são de ‘grande luta e de experiências partilhadas’, dos profissionais de saúde e dos dirigentes da associação junto à sociedade e das comunidades, visando a promoção da saúde alertando as pessoas para que tenham uma vida ‘mais digna e mais saudável’.

“Ninguém está isento desta patologia, por isso não tenham receio e preconceito de se dirigir ao hospital e às estruturas de saúde. Pedimos, particularmente, aos homens que continuam agarrados aos preconceitos sociais, que se dispam desses preconceitos, porque se chegarem às estruturas de saúde atempadamente, há hipótese de cura, na maior parte dos cancros, segundo os profissionais de saúde”.

Segundo Cornélia Miranda, o objetivo da ACLCC é continuar a trabalhar junto da sociedade e das comunidades para levar cada vez mais informações, ações de sensibilização e socialização em prol da prevenção e do combate ao cancro.

“Este projeto vai continuar, temos um trabalho excepcional de voluntariado dos nossos profissionais de saúde e que sem esses ‘grandes saberes’, hoje não chegaríamos até este ponto”, salientou.

A gala foi abrilhantada com um espectáculo de dança do grupo “Raiz di Polon”, interpretado por Manu Pretu, que retrata o cancro, já que o grupo teve um membro que perdeu a vida na sequência desta doença.

Hélio Batalha, Mirri Lobo, Albertino Évora, Terezinha Araújo, Cremilda Medina e Tito Paris, foram alguns dos artistas de renome que brindaram a noite.

A presidente da ACLCC fez um balanço positivo do evento, assegurando que este superou as expectativas.

“Tivemos sala cheia e isto é gratificante. Agradeço a todos que estiveram presentes e que abraçaram esta nobre causa. Vê-se que as pessoas estão extramente sensibilizadas com este flagelo mundial. Um forte agradecimento ao mentor deste projeto ambicioso, o doutor Henrique Vera Cruz, aos profissionais de saúde e ao voluntariado excepcional dos nossos músicos que aderiram ao nosso apelo e a todos os nossos parceiros”.

A Gala Solidária que assinala o 12º aniversário da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro foi marcada também com o leilão do quadro “Jogo de Uril”, da autoria de David Levy Lima, que acabou por ser adquirido no valor de 200 mil escudos.

Edna Veiga (Estagiária)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.