Os livros têm a capacidade de nos inspirar e nos incentivar a fazer grandes coisas: desde biografias de pessoas icónicas da história que nos levam a seguir os seus passos, a histórias de mundos distantes e personagens fantásticos que nos mostram que a imaginação não tem limites.

Alguns livros chegam a levá-lo aos quatro cantos do mundo e várias destas livrarias onde podem ser comprados foram transformadas em obras arquitetónicas que valem a pena visitar.

El Ateneo (Buenos Aires, Argentina)

Buenos Aires é um dos principais centros culturais da América Latina, com muitos teatros, museus, bibliotecas e livrarias.

Localizada no bairro característico de Recoleta, a icónica livraria argentina El Ateneo, abriu as suas portas no final do ano 2000 e destaca-se por estar dentro do antigo teatro Grand Splendid. O teatro, inaugurado em 1919, foi palco de óperas, concertos, ballet e os primeiros filmes sonoros foram transmitidos aqui. A livraria é reconhecida por manter a essência do antigo teatro: a cúpula pintada com frescos - que remetem à paz após a Primeira Guerra Mundial -, as varandas douradas, os intrincados ornamentos e no palco os visitantes podem desfrutar de um café, por detrás da cortina de veludo vermelho. Recentemente, a National Geographic elegeu-a como a livraria mais bonita do mundo.

Livraria Acqua Alta (Veneza, Itália)

Obras arquitetónicas elaboradas, palácios cheios de arte que acolhem os artistas renascentistas mais famosos e passeios de gôndola no Grande Canal, fazem de Veneza uma das cidades mais pitorescas e românticas do mundo.

Durante os meses de outono e inverno, as ruas de Veneza são inundadas e o fenómeno, conhecido como “Aqua Alta”, dá o seu nome à livraria fundada em 2004 por Luigi Frizzo, com o objetivo de proteger os livros da água. Embora nem sempre esteja cheia de água, esta pequena livraria está sempre cheia de livros, que podem ser encontrados em toda parte: as prateleiras tradicionais estão presas a pequenas gôndolas, barcos e até banheiras, que são úteis para escapar da água. Os livros dão um colorido especial, expostos desde o chão ao teto.

Shakespeare & Company (Paris, França)

Conhecida como a Cidade da Luz ou Cidade do Amor, Paris é um dos destinos mais visitados na Europa, com os seus passeios ao longo do rio Sena, sob as luzes da Torre Eiffel, além de cafés e lojas características.

A livraria parisiense Shakespeare & Company - especializada em literatura anglo-saxónica - tem vários capítulos na sua história. Um dos seus proprietários mais conhecidos foi a editora americana Sylvia Beach, que geriu a livraria entre 1919 e 1941. Foi o refúgio para grandes autores da chamada "Geração Perdida", incluindo Ernest Hemingway, F. Scott Fitzgerald, Gertrude Stein e James Joyce. Mas teve de fechar portas devido à ocupação alemã no país. Anos depois, em 1951, sob o nome "Le Mistral", George Whitman abriu uma nova livraria anglo-saxónica em Paris, que rapidamente se tornou um dos centros literários da cidade. Com a morte de Silvia Beach, este estabelecimento recebeu o nome "Shakespeare & Company" e está a cargo da filha de Whitman, a quem chamou Sylvia, em homenagem ao proprietário original.

Bart's Books (Ojai, Califórnia)

A poucos quilómetros de Los Angeles, a pequena cidade de Ojai oferece aos turistas outra faceta do estado da Califórnia. Localizado no centro de um vale pitoresco, é ideal para fazer uma pausa nas grandes cidades, visitar pequenos mercados de artesanato e envolver-se com a natureza.

Localizado na esquina das ruas Matilija e Canadá, o Bart's Boks é conhecida por ser a maior livraria ao ar livre do mundo. Nasceu em 1964, quando a coleção de livros de Richard Bartinsdale se tornou tão impressionante que este decidiu construir uma série de estantes de livros na rua da sua casa, para que quem passasse pudesse apreciá-los. Outra particularidade deste local é o seu sistema de vendas, nesta livraria os livros não têm preços fixos. Devido à falta de uma caixa registadora no início da livraria, é aplicado o que os proprietários chamam de "sistema de honra": uma vez escolhido o livro, recebe o valor monetário considerado correto.

Livraria Avant-Garde (Nanjing, China)

Esta cidade chinesa tem mais de mil anos de história como o centro económico e político do sudeste do país, depois de ser designada várias vezes, como a capital de diferentes reinos e dinastias. Hoje, é um dos pontos mais visitados devido à sua importância histórica, cultural e educacional.

Fundada em 1999 por Qian Xiaohua, a livraria Avant-Garde está localizada num antigo bunker de guerra e depois convertida em estacionamento, sob o estádio polidesportivo Wutaishan e a poucos passos da prestigiada Universidade de Nanjing. O interior da biblioteca mantém a estrutura e a essência de um estacionamento, a estrada de entrada é marcada por duas linhas de tráfego amarelas, mas contém elementos que a tornam única: quem a visita é recebida por uma réplica da escultura "O Pensador" de Rodin; as compras são pagas num balcão construído com centenas de livros antigos; poemas famosos podem ser lidos nas paredes; e no teto estão penduradas as obras favoritas do seu fundador.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.