“As temperaturas globais mantiveram-se ao mesmo nível de 2017 e 2019, o segundo e terceiro marços mais quentes de sempre”, adiantou o C3S em comunicado, esclarecendo que estes indicadores ficam apenas atrás do recorde estabelecido em março de 2016.

Apesar de as temperaturas no ocidente europeu terem sido ligeiramente inferiores à média global observada entre 1981 e 2010, o valor mensal foi inflacionado pelas temperaturas “muito mais elevadas nas regiões do Mar Báltico e do Oriente”, bem como pelos registos acima da média “em grande parte da Rússia, muitas partes da Ásia, nas costas leste e oeste dos Estados Unidos, México, sul da América do Sul, América Central e oeste da Austrália”.

A outra exceção ao aquecimento generalizado, além do ocidente europeu, verificou-se no noroeste do Canadá, na Gronelândia e no leste da Antártida.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.