As resoluções de ano novo podem passar por fazer dieta, fazer mais exercício físico, fazer uma viagem de sonho ou até mesmo poupar dinheiro e ter mais saúde financeira. Para poder gerir melhor as suas finanças pessoais, não basta apenas fazer o orçamento familiar.

Saiba quais os cinco erros que não deve cometer para começar o ano da melhor forma.

Não ter em conta os aumentos de impostos e serviços

Nos primeiros momentos do ano, aquilo que devemos fazer é planear o orçamento familiar para os próximos doze meses. Contudo, muitas famílias esquecem-se de que as suas despesas aumentaram. A inflação sobe e influencia os preços finais de vários serviços, como a gasolina, os transportes, as telecomunicações.

Para isso, tenha em atenção a subida de impostos previstas no Orçamento de Estado em 2019 e recalcule as suas despesas com estes serviços.

Não rever os seus contratos

Se depois de fazer as contas notar que as suas despesas com serviços aumentaram, não baixe os braços. Contacte as várias entidades para renegociar o seu contrato e ter um preço inferior ao atualmente praticado. Saiba que pode renegociar seguros, a mensalidade do ginásio, o pacote de televisão e internet em casa.

Não planear despesas futuras

O seu orçamento familiar deve contemplar as suas despesas fixas e mensais, mas lembre-se que também tem outras despesas que ocorrem em alturas específicas do ano. O pagamento do IMI, as despesas do regresso às aulas em setembro, o pagamento das férias de verão ou do ATL de verão das crianças. Planeie as suas poupanças para poder cumprir estes encargos na devida altura, sem se endividar e sem comprometer o orçamento do mês seguinte.

Não ter em atenção os detalhes fiscais

A sua vida financeira está intimamente ligada à sua vida fiscal. E o ano novo traz sempre um novo Orçamento de Estado, que poderá alterar a sua vida fiscal. Antes de chegar à altura de preencher o IRS, faça uma simulação atempada para perceber se irá subir de escalão, quanto poderá deduzir e quanto poderá receber.

Fazer este cálculo com tempo permite-lhe perceber que, se tiver de pagar às Finanças com o IRS, deve então preparar uma poupança mensal para poder fazer o pagamento.

Não rever as suas dívidas

O orçamento familiar deve contemplar os seus rendimentos e despesas, mas também as suas dívidas. Faça um ponto de situação dos seus créditos, como crédito pessoal e cartões de crédito, através da consulta do Mapa de Responsabilidades, no website do Banco de Portugal. Uma forma de regularizar as dívidas é fazer a consolidação de créditos, que lhe permite ter uma menor prestação mensal, amortizar a dívida mais rapidamente e gerir a sua vida financeira. Consulte sempre especialistas que podem fazer uma simulação por si.

Este ano, prepare bem a sua vida financeira para poder cumprir os seus compromissos financeiros mensais e fazer frente a despesas mais inesperadas, sem comprometer o seu futuro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.