Coloco aqui algumas simples questões para vos ajudar a perceber o que faz sentido manter e o que faz sentido libertar e deixar ir.

Usei esta peça nos últimos 12 meses?

Se estamos decididos a viver com aquilo que nos faz feliz e a desapegarmo-nos do que já não nos traz alegria, esta questão ajuda-nos a perceber a utilização que damos a determinado item. De forma geral utilizamos mais aquelas peças que nos assentam bem, que são confortáveis e que nos transmitem algo de positivo, deixando outras de parte, sem utilizar durante anos, apenas por termos dificuldade em desapegar. Com esta questão terá rapidamente a sua resposta em relação ao destino do objeto. 

Compraria este item hoje?

Ao colocar esta questão percebe a importância do item na sua vida. Se a resposta for negativa, perceberá que tal item já não tem a mesma importância e valor que tinha no momento em que o comprou. Evite manter essas peças que já não lhe dizem nada, mas que persiste em manter por um qualquer motivo emocional.

Estou a desperdiçar dinheiro ao deitar isto fora?

Muitas vezes custa-nos deitar/doar/reciclar algo quando sabemos que a peça foi cara ou custou-nos a dar aquele valor. Esse sentimento de culpa faz com que a peça fique demasiado tempo no nosso espaço, sem qualquer necessidade. Livre-se desse sentimento de culpa (sempre que olhar para a peça vai sentir-se mal por ter gastado dinheiro, mas mesmo assim não utiliza) e liberte-se da peça. Dê a alguém que goste, faça uma doação a uma instituição com a qual se identifica, seja racional. Agradeça à peça por lhe ter ensinado a perceber aquilo que não usa.

Se for realmente difícil libertar-se dessa peça, experimente vendê-la em plataformas de artigos em segunda mão, estipulando data e prazo de venda para que não fique eternamente guardada e esquecida.

Tenho itens semelhantes ou com a mesma função?

Precisa desses três conjuntos de chávenas de café? Dos quatro perfumes que tem mas só usa um? Dos vários conjuntos de roupa de cama? Analise tudo o que tem em duplicado, triplicado, ou mais, em casa e perceba se realmente utiliza.

Estou a ser realista?

Seja sincero consigo mesmo: qual o destino daquela moldura partida que está a guardar e que ficará mais dois anos em sua casa e nunca terá arranjo? Ou aquela caixa com roupas para vender e que, possivelmente, a venda nunca irá acontecer? Tenha um plano realista ou então tome a decisão de libertar-se desses objectos. Caso contrário, sempre que olhar para eles, lembrar-se-á do que ainda não foi realizado e causará, mais uma vez, um sentimento de culpa. Livre-se disso! 

Tenho espaço em casa?

Só existem dois motivos para a desorganização no nosso espaço: ter excesso de objetos e não ter um local definido para tudo o que temos em casa. O problema do espaço está ligado diretamente a estas duas causas: se temos objectos em excesso e não temos espaço para guardá-los, então adapte-se à sua realidade e utilize o espaço disponível que tem para os seus itens. Organize a sua casa tendo em conta os objetos necessários que deve manter e os que já não fazem sentido, podem ir.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.