- Voos suspensos -

BRITISH AIRWAYS: A companhia britânica anunciou esta quarta-feira a suspensão imediata de todos os seus voos para a China continental. A decisão foi tomada depois de as autoridades do Reino Unido recomendarem aos seus cidadãos que evitassem viajar para o país asiático.

Esta é a primeira companhia aérea europeia que anuncia este tipo de medida.

A British Airways realiza, em horário normal, vários voos diários que ligam Londres a Pequim e Xangai.

LION AIR: A companhia aérea indonésia anunciou que suspenderá os seus voos para a China a partir de 1 de fevereiro.

Esta empresa, que possui a maior frota do sudeste da Ásia, e a sua filial Batik Air, oferecem voos para 15 cidades chinesas. Um milhão de turistas chineses viajam para a Indonésia todos os anos.

TRÊS COMPANHIAS BIRMANESAS: A Myanmar National Airlines, a Air KBZ e a Myanmar Airways International, três empresas birmanesas com voos para a China, anunciaram a suspensão dos seus voos a partir de 1 de fevereiro.

CAZAQUISTÃO: As autoridades do Cazaquistão ordenaram esta quarta-feira a suspensão dos voos para  China a partir de 3 de fevereiro, de acordo com um comunicado do governo. O governo suspendeu também o tráfego de autocarros e comboios para a China.

- Menos voos -

UNITED AIRLINES: A companhia norte-americana anunciou na terça-feira a suspensão de alguns dos seus voos para Pequim, Xangai e Hong Kong entre 1 e 8 de fevereiro.

As autoridades dos Estados Unidos recomendaram que seus cidadãos não viagem para a China no momento.

CATHAY PACIFIC: A companhia aérea, que tem sua base principal no Aeroporto Internacional de Hong King, afirmou que “reduzirá gradualmente” seus voos de e para a China continental em pelo menos 50%. Esta decisão entrará em vigor na quinta-feira e ficará regente até o final de março.

FINNAIR: A companhia aérea finlandesa, que multiplicou seus voos para a Ásia nos últimos anos, suspenderá alguns de seus voos, mas manterá os que se destinam a Pequim, Xangai, Hong Kong e Guanghzu.

Esta decisão é explicada pela suspensão, por parte de Pequim, de viagens organizadas na China e no exterior.

- Nenhuma mudança -

AIR FRANCE:  A companhia aérea francesa afirmou à AFP que, no momento, não alterará seu horário de voo. Como as outras empresas, a Air France suspendeu seus voos para Wuhan, o epicentro da epidemia, desde 24 de janeiro.

Mas manterá por enquanto seus 10 voos semanais para Pequim e seus 13 para Xangai a partir de Paris, a cidade europeia mais bem conectada à China.

LUFTHANSA: A companhia aérea alemã não planeja cancelar seus voos para a China no momento, mas afirma ter “implementado várias medidas”, incluindo a distribuição de máscaras para a tripulação de cabina e de terra.

O grupo Lufthansa opera cerca de dez voos diários de e para a China.

SAS: A companhia aérea sueca, que oferece voos para Pequim e Xangai uma vez por semana, não suspendeu seus voos, mas diz que está “acompanhando de perto os acontecimentos”.

ITÁLIA: O governo italiano disse que enviaria uma aeronave na quinta-feira para Wuhan, onde até 70 italianos estão alojados.

Cerca de 250 cidadãos franceses e outros 100 europeus serão levados de Wuhan a bordo de dois aviões franceses nesta semana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.