A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) descartou que haja problemas nas cadeias de abastecimento e prometeu ações coordenadas da UE, em caso de "confinamento temporário de fábricas manufatureiras em lugares afetados pela Covid-19, ou em caso de restrições que afetem o transporte".

"Podemos esperar problemas de abastecimento, se continuarem os confinamentos e/ou se houver outras alterações do fornecimento", indicou a EMA.

A maioria dos medicamentos usados na Europa é elaborada com moléculas produzidas na Ásia, em particular na China. A epidemia de coronavírus surgiu no gigante asiático em dezembro passado.

As autoridades chinesas impuseram quarentena a dezenas de milhões de pessoas e obrigaram o encerramento de fábricas, o que afeta as exportações de todo o tipo de produto.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos.

Cerca de 114 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 463 mortos e mais de 9.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Coronavírus: como passou de animais para humanos?

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.