Desde terça-feira que o Governo não divulga resultados dos testes de virologia ao novo coronavírus, tendo esclarecido que isso se deveu a “razões operacionais” e que, por causa disso, nesse dia também não houve a habitual conferência de imprensa.

A conferência de imprensa foi retomada hoje e a presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), Maria da Luz Mendonça, explicou que o Laboratório de Virologia detetou “alguns reagentes que estavam deteriorados”.

“E, por questão de segurança, não foram liberados os exames”, esclareceu a presidente, garantindo que os técnicos estão a “fazer de tudo para voltar rapidamente a normalidade”.

Maria da Luz Mendonça disse ainda que já foram adquiridos mais reagentes e mais testes, e que dois equipamentos que chegaram recentemente a Cabo Verde vão reforçar a capacidade laboratorial.

Quanto à retoma dos testes de virologia, a responsável do INSP apontou “dois, três dias, ou quatro”.

“Assim que tivermos essa possibilidade e disponibilidade retomar-se-á o trabalho normal e liberação dos resultados, conforme era rotina”, previu.

Segundo Maria da Luz Mendonça, há neste momento cerca de 300 amostras pendentes para serem analisadas no Laboratório de Virologia, não só da ilha de Santiago, mas também da Boa Vista e de São Vicente.

A presidente do INSP disse há testes que foram adquiridos pelo Governo, outros doados por várias organizações, pelo que está neste momento em processo de ver qual é a origem do problema com os reagentes, que não estão em condições de serem processados.

Maria da Luz Mendonça reconheceu que a falta de dados durante estes dias poderá quebrar a rotina e o hábito das pessoas, mas salientou que o laboratório é fundamental neste processo, tal como a segurança nos resultados.

“Pode quebrar, mas entre quebrar e manter a qualidade do diagnóstico, é preferível ter a qualidade do diagnóstico”, declarou.

Cabo Verde regista 390 casos acumulados de COVID-19, desde 19 de março, distribuídos pelas ilhas de Santiago (331), Boa Vista (56) e São Vicente (03).

Do total, registaram-se quatro óbitos, dois doentes transferidos para os seus países e 155 doentes recuperados, fazendo com que o país tenha neste momento 229 casos ativos.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.