A Gala Solidária que tem ainda como objectivo marcar os 12 anos da existência da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro (ACLCC), segundo a presidente, Cornélia Miranda, em declarações à Inforpress, conta com uma adesão satisfatória de artistas.

Nestas condições, Cornélia Miranda, espera contar com a adesão em massa do público praiense já que a causa é “nobre”.

A Gala que conta com um leque interessante de vozes, informa Cornélia Miranda, vai oferecer aos presentes um espectáculo de dança a ser interpretado por Manu Preto.

A peça retrata o cancro, já que o grupo Raiz di Poilon, explica, teve um membro que perdeu a vida por contrair a doença.

“Face ao que vamos oferecer, apelamos aos santiaguenses que nos ajudem a encher a Assembleia Nacional como forma de dizer um obrigado aos artistas que responderam a este repto”, disse.

Ainda segundo Cornélia Miranda, o fundo angariado com a Gala de hoje vai reverter a favor dos familiares e doentes oncológicos que carecem de apoio para compra de medicamentos, consultas e rastreios.

Além de música e dança, onde também figura nome de Terezinha Araújo e Mik Baptista, a Gala Solidária da ACLCC vai brindar aos presentes no espectáculo com um leilão do quadro “Jogo de Uril” de autoria de David Levy Lima.

A ACLCC é uma Associação da sociedade civil, sem fins lucrativos, sem filiações políticas ou religiosas, que vem desempenhando acções voltadas para a luta contra o cancro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.