O nosso sistema imunitário tem duas grandes fações: o inato e o adquirido. O sistema imunológico inato, herdado de pais para filhos, constitui a barreira de primeira linha e é um mecanismo de resposta rápida contra a invasão microbiana. 

O sistema imunológico adquirido, ao contrário do inato que está presente desde o nascimento, é um sistema que é adaptado e permanentemente aumentado como resultado da exposição a microorganismos.

Existem algumas atitudes que podemos ter para reforçar o nosso sistema imunitário e automaticamente melhorar a nossa defesa.

Tome nota destas 10 dicas fantásticas que vão de certeza melhorar e muito a saúde:

1- Reforçar a dieta alimentar com alguns alimentos: 

Os citrinos (laranja, limão e Kiwi) são excelentes fontes de vitamina C verdadeiros antioxidantes, que ao evitarem a oxidação das células do sistema imunitário, evitam a morte destas células. 

Ana Isabel Pedroso, Assistente Hospitalar de Medicina Interna
Ana Isabel Pedroso, médica

Os cogumelos são também ricos em antioxidantes e em selénio (muito importante porque quando temos um nível baixo de selénio ficamos mais susceptíveis a gripes e constipações). 

A batata-doce, que tem também uma grande actividade antioxidante, possui beta-caroteno e vitamina A. Estudos referem que combate o envelhecimento e que está associada à redução do aparecimento de alguns tipos de neoplasia.

Os espinafres são uma boa fonte de fibras, antioxidantes, vitamina C e possuem ácido fólico, fundamental na produção de novas células e na reparação do ADN. 

As amêndoas são ricas em vitamina E e B3 (niacina) e estas duas vitaminas juntas fortalecem o sistema imunitário e ajudam a combater o stress.

Os iogurtes tanto os naturais como também o leite fermentado tipo Kefir ou Yakult contêm bactérias (probióticos) que agem sobre mediadores da resposta inflamatória no organismo, ajudando a combater doenças inflamatórias do intestino.

O alho, conhecido por matar vampiros em filmes, na vida real combate diretamente a Helicobacter pylori, uma bactéria muito associada à gastrite, úlceras e neoplasia do estômago. 

Claro, que não poderiam faltar alimentos ricos em ómega 3, conhecido como a “gordura do bem” como a sardinha, o salmão, o atum e a linhaça, que diminuem bastante o risco de inflamação.

2 - Diminuir o consumo de fontes de gordura, açúcar e industrializados, com corantes e conservantes. 

3 - Consumir bebidas alcoólicas com moderação.

4 - Não fumar - Todos sabemos que fumar é uma das principais causas de morte no mundo. Se fuma, é urgente que páre, em nome não só do seu sistema imunitário, mas dos seus pulmões, do seu coração, da sua pele, dos seus dentes, enfim, por si.

5 - Praticar exercícios físicos leves ou moderados de forma regular - é super importante, não só por causa do peso, mas porque o exercício físico faz com que o corpo seja mais capaz de lidar com adversidades.

6 - Dormir entre 7 a 8 horas por noite- respeitar a quantidade e a qualidade de sono, fará com que este seja reparador e promotor de saúde.

7 - Evitar o stress e proporcionar momentos de relaxamento- nada melhor não só para o sistema imunitário especificamente, mas para si!

8 - Beber cerca de 1,5 a 2 litros de água diariamente.

9 - Manter a higiene- actos simples como lavar as mãos antes das refeições e tomar banho com regularidade ajudam a prevenir infecções e deste modo a manter o nosso sistema imunitário.

10 - Não tomar remédios sem conhecimento médico. A auto-medicação pode muitas vezes conduzir a um agravamento do seu estado de saúde, através da redução de produção de células do sistema imunitário e anticorpos, quando a ideia era precisamente o contrário.

Os conselhos são da médica Ana Isabel Pedroso, Assistente Hospitalar de Medicina Interna do Hospital de Cascais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.