Maria do Céu Teixeira falava em declarações à Inforpress, no âmbito do Dia Mundial da Alergia que se assinala hoje, uma data que foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e visa alertar as pessoas sobre a importância do tratamento das alergias.

Conforme explicou, as doenças alérgicas são doenças crônicas que se manifestam no aparelho respiratório em forma de asma ou renite, no aparelho digestivo como alergia alimentar e as alergias a nível da pele.

São doenças, prosseguiu, que feito o diagnóstico precoce e com tratamento adequado podem não ser consideradas graves e que as medidas de prevenção podem proporcionar ao doente uma melhor qualidade de vida e uma melhor evolução da doença.

No que se refere à situação de Cabo Verde, fez saber que os últimos estudos realizados há alguns anos sobre as doenças alérgicas indicam que a asma renite tem maior prevalência.

“Dos poucos estudos que temos em Cabo Verde estimamos que possa existir entre 7 a 10% de indivíduos com asma, portanto dependendo da ilha em que vivem, porque são doenças que têm influência muito grande do meio ambiente e a renite estimamos que haja cerca de 12% de pessoas com esta doença”, afirmou, realçando, entretanto, que atualmente tem-se registado um aumento da alergia alimentar em crianças, nomeadamente ao leite, ovo e peixe.

No entanto, revelou que não há registo de casos de mortes no país causados diretamente pelas alergias, referindo, contudo, que existem situações que podem levar à morte causada pela anafilaxia que, conforme elucidou, é uma alergia em vários órgãos que pode conduzir à morte.

Maria do Céu Teixeira garantiu, por outro lado, que os serviços do HAN têm sabido responder às situações de doenças alérgicas em Cabo Verde com respostas rápidas e adequadas.

“Temos uma consulta de Imunoalergologia no hospital, que funciona durante todo o ano. As pessoas têm procurado os serviços hospitalares e todas as semanas fazemos consultas. É claro que poderíamos ter outras condições, mas penso que a resposta que o hospital dá é adequada para estas situações, que é possível fazer o diagnóstico, tratamento adequado e o seguimento das doenças alérgicas sem nenhum constrangimento”, asseverou.

Segundo esta imunoalergologista, devido a escassos dados estatísticos sobre doenças alérgicas em Cabo Verde, prevê-se a realização brevemente de um estudo sobre as alergias em todo o território nacional.

Apelou, ainda, às pessoas a procurarem os serviços de saúde sempre que haja sintomas ou sinais de doenças alérgicas, visando garantir a realização do diagnóstico correto, alertando que a doença não tratada pode condicionar o agravamento e desencadear situações mais graves.

O Dia Mundial da Alergia celebra-se a 08 de julho.

A data da Organização Mundial da Saúde visa alertar as pessoas sobre a importância do tratamento das alergias, visto que em certos caso as alergias podem provocar a morte.

A Organização Mundial de Alergia promove a partir de hoje e até sábado 13, uma semana dedicada à alergia alimentar com a intenção de orientar a população sobre sintomas, formas de diagnosticar e alternativas de tratamento para cada caso.

Nesta edição, o foco está voltado nos casos de alergia alimentar, com a temática “Alergia Alimentar: Um Problema Global”, considerada, atualmente, um problema de saúde pública.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.