No total, 249.204 pessoas foram infetadas desde a deteção do primeiro caso no país, a 21 de fevereiro.

Com o aumento do último dia, o número de mortes chega a 35.187.

O número de infeções tem aumentado nos últimos dias, em parte devido ao aumento do número de testes realizados, que nas últimas 24 horas foram 58.673.

Enquanto os pacientes nos hospitais com sintomas são apenas 762 em todo o país, menos dois que na quarta-feira, nos cuidados intensivos estão internados 42, mais um do que nas últimas 24 horas.

Os restantes, 11.900, estão em isolamento doméstico.

O relatório de controlo da pandemia das últimas duas semanas e publicado hoje, com dados até 02 de agosto, observou “um aumento no número de novos casos diagnosticados e notificados”, mas especificou que esse aumento “ocorre principalmente em pessoas assintomáticas”.

“O índice de transmissão nacional (Rt) calculado em casos sintomáticos é igual a 1.01″ e o “número de casos sintomáticos diagnosticados no país manteve-se substancialmente estável nas últimas semanas”, acrescenta o estudo.

Em muitas regiões é relatada a presença de novos casos de infeção importados de outra região ou de outro país, portanto, é confirmada uma situação epidemiológica extremamente fluída, acrescenta o estudo.

Entretanto, o Governo italiano deve prolongar até 31 de agosto, em novo decreto, o uso obrigatório de máscaras em locais fechados.

Neste decreto, prevê-se a reabertura de feiras e eventos, assim como a permissão de cruzeiros, prevalecendo o não à reabertura de discotecas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 708 mil mortos e infetou mais de 18,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.