A responsável avançou à imprensa que o balanço é extremamente positivo, realçando a importância da troca de experiências com os médicos americanos da referida missão.

Apontou que durante quatro dias, forma realizadas, em média, cinco cirurgias por dia, revelando não ter sido possível a realização em maior número, por estarem numa fase de aprendizagem.

“Nós estamos a apreender com os médicos americanos, tem que ser passo a passo e com calma, para a própria segurança dos utentes também”, sublinhou.

Esta é terceira participação da missão americana no HAN, que acontece no âmbito do “Project Health For Cape Vert”, visando a capacitação dos técnicos de saúde no país, assim como as trocas de experiências entre os profissionais.

A referida cooperação é representada pelo presidente do projecto, o médico urologista Michael Kaearney, administradora Ernestina da Moura Moreira, que tem vindo à Cabo Verde desde 2008, tendo já realizado várias consultas e cirurgias, bem como a avaliação das cirurgias e a sua monitorização.

Project Health for Cap Vert é uma organização não-governamental (ONG) com reconhecimento de estatuto a nível dos Estados federais americanos que vêm actuando no país desde 2010.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.