Embora nos dias de hoje seja controverso fumar durante a gravidez, mulheres de gerações anteriores tinha comportamentos que atualmente são considerados prejudiciais quer para a mãe quer para o bebé, ou ambos, durante a gravidez.

O estudo "Health Below the Bump”, realizado pela Monistat nos Estados Unidos, descobriu que as "regras" da gravidez mudaram drasticamente ao longo do tempo, o que faz com que as futuras mães tenham de descodificar e assimilar uma enorme quantidade de informação para saberem qual a melhor forma de gerirem a sua saúde durante o período de gestação.

O estudo nacional realizado a 2.000 mulheres americanas que estiveram, ou estão atualmente grávidas, descobriu que 84 por cento duvidaram das escolhas de saúde durante a gravidez, apesar de muitas terem feito modificações, como mudar o que comiam (49 por cento), produtos de limpeza que usavam (27%)  e os produtos de cuidados com a pele  (22%).

As dúvidas surgem, maioritariamente, devido à quantidade de informação disponível e aos conselhos que estão sempre a mudar. De facto, mais de um terço das entrevistadas (36%) confessaram que existe um sem número de informações que são partilhadas durante a gravidez.

Uma das decisões que muitas mulheres grávidas tiveram de tomar diz respeito a como tratar uma infeção fungica, que é 10 vezes mais provável de ocorrer durante a gravidez.  A pesquisa revelou que 54 por cento das mulheres não estavam cientes de que havia um risco potencial à saúde ao tomar o principal medicamento para tratar infeções fúngicas durante a gravidez, e quase metade destas mulheres realmente tomaram este medicamento enquanto grávidas.

Com tanta coisa para se preocuparem durante a gravidez, não é de admirar que as mulheres estejam também preocupadas com as escolhas que precisam de fazer em relação à sua saúde. Mais de 25 por cento admitiram que receberam conselhos diferentes de outras mulheres e 38 por cento observaram que as informações fornecidas pelos seus médicos eram significativamente diferentes daquelas que as suas mães recebiam quando grávidas.  Além disso, o estudo constatou que as mulheres também estão mais recetivas a aceitar conselhos de estranhos, com mais de 66% das mulheres entre os 18 e 24 anos a recolher informações de fóruns de gravidez online.

Embora a dúvida e a confusão estejam frequentemente presentes durante a gravidez, as mulheres devem procurar conforto em especialistas experientes e produtos confiáveis que podem ajudá-las a terem uma gravidez segura e saudável.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.